Programa do PT ameaça liberdade de imprensa

Por Cláudio Humberto

O programa de governo de Fernando Haddad (PT) promete claramente afetar a liberdade de imprensa no Brasil, no caso de vitória. O documento, disponível na página do candidato, a pretexto de “regular” ou “democratizar” os meios de comunicação, ameaça introduzir “restrições” e “proibições” sobre a propriedade de veículos, além de “monitorar” notícias incômodas “por meio de um órgão regulador”.

Inspiração fascista
É dedicado à imprensa o capítulo 1.3 do programa do PT, de inspiração fascista. A meta é controlar as notícias e destruir as grandes empresas.

Somente elogios
O PT também quer “distribuir concessões” de rádio e TV a sindicatos, que controla, e a universidades, informa seu programa de governo.

Operação Mordaça
Acuado pelas investigações, Lula fez ameaças em seu Twiter. “Eu sei o que é apanhar da imprensa”, postou, sonhando calar os jornalistas.

Vingança final
Lula acha que “democratizar” meios de comunicação tem o significado de censura. “Nossos adversários se preparem”, twitou há um ano.

TSE: campanha contra ‘mito’ é só ‘coincidência’
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) garante que não há duplo sentido na campanha lançada para “desfazer mitos eleitorais”, apesar de um dos candidatos a presidente, Jair Bolsonaro (PSL), ser chamado de “mito” pelos apoiadores. Questionado sobre o fato de a ação inspirar fake news de adversários, o TSE piora a situação, informando que suas peças publicitárias citam a palavra mito “no sentido de algo inverídico”.

Timing errado
Líder das pesquisas, Jair Bolsonaro (PSL) já era chamado de mito por eleitores em fevereiro de 2017. A campanha do TSE começou em julho

Combustível usado
Sites ligados a partidos de adversários atribuem a Bolsonaro o mesmo sentido de mito usado pelo TSE na campanha: farsa, mentira, ilusão…

Mitos são outros
Oficialmente, o objetivo, segundo o TSE, é esclarecer eleitores sobre o processo eleitoral, funcionamento das urnas eletrônicas e a apuração.

Governo ativo
Temer não abre mão das suas prerrogativas até o último minuto: a poucos dias da eleição do novo presidente, a Casa Civil avalia leiloar ainda este ano terminais portuários, aeroportos e a Ferrovia Norte-Sul.

Extensa folha corrida
Haddad é um “campeão”, responde a 32 processos na Justiça. Segundo a revista IstoÉ: é acusado de receber dinheiro de caixa 2 de empreiteira da Lava Jato, denunciado por crimes de improbidade, suspeito de superfaturamento, acusado pelo desvio de recursos etc.

Brasileirinhos apátridas
O governo fez festa, nesta quinta (4), em Genebra, para entregar documentos a duas garotas libanesas apátridas. Mandou bem. Mas faz pouco em relação aos brasileirinhos apátridas mundo afora.

Simon pede votos
O ex-senador Pedro Simon (MDB-RS) gravou um emocionado vídeo pedindo votos para seu correligionário Ibaneis Rocha, candidato que lidera as pesquisas para o governo do Distrito Federal.

Avelar em Londres
Ex-diretor executivo da Polícia Federal, o delegado Sandro Avelar, muito querido e admirado pelos colegas, viaja neste sábado para Londres, onde será adido policial à embaixada do Brasil por três anos.

Lúcio afinou
Além de emplacar o “L” da Bahia, o deputado Lúcio Vieira Lima (MDB) tem chamado atenção na campanha à reeleição pela nova silhueta. Emagreceu como uma noiva para caber no vestido.

Haddad não é Rui
Clássico reduto petista, a Bahia surpreende pela dissociação entre, Rui Costa, que nada de braçadas rumo à reeleição ao governo do Estado, e o candidato do PT à presidente, que não tem o mesmo desempenho.

Se o Psol deixar
Primeiro item da pauta após a eleição, a urgência do projeto para levar internet banda larga às escolas pode ser votada na terça (9) caso os deputados do Psol decidam parar de obstruir a tramitação da proposta.

Pensando bem…
…muitas pesquisas eleitorais sofrerão choque de realidade no domingo.

Comuna no Muro Arte / Metro Jornal
Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo