Quando nós precisamos de psicólogo e psiquiatra?

Por Edimilson Migowski

Dados recentes do Ministério do Trabalho e Previdência Social mostram que, nos últimos três anos, a participação das doenças mentais nos afastamentos do trabalho aumentou de 4% para quase 5% do total de licenças. Entre essas doenças, os casos de transtorno de ansiedade e reação grave ao estresse tiveram um crescimento ainda mais preocupante, na casa dos 30%. Segundo um relatório da OMS (Organização Mundial da Saúde), uma pessoa entre quatro será afetada por problemas mentais ou neurológicos em algum momento de suas vidas.

PÍLULAS

Sinais e sintomas

Todos nós passamos por dificuldades, mas quando você percebe que o seu nível para lidar com elas está baixo, está na hora de procurar um especialista! A ansiedade é um exemplo. Ficar ansioso antes de uma prova com conteúdo difícil é completamente normal; durante a preparação do casamento, também. Porém, quando essa ansiedade leva a uma somatização, passa a ser motivo para buscar ajuda. Alguns sinais e sintomas são: confusão mental, sensação de ansiedade, angústia, de estar preso ao passado e não vislumbrar seu futuro, dificuldade para dormir e se concentrar, sentimento de culpa, distúrbios alimentares e etc.

Prevenção               

O senso comum diz que quem se trata com psicólogo ou psiquiatra é louco. Na verdade, não existem requisitos para buscar um especialista. Muitas pessoas procuram esses profissionais por estar em transtornos mentais graves, mas o ideal seria buscar como uma forma de prevenção, para autoconhecimento e manutenção da saúde mental. Não perca o programa “Fique Bem” na TV Band, sábado, às 11h30.

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo