UFRJ: folha salarial bilionária, museu na pindaíba

Por Cláudio Humberto

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) gastou somente nos sete primeiros meses em 2018 mais de
R$ 1,8 bilhão em salários de seus servidores ativos e inativos, segundo dados oficiais do Ministério do Planejamento. Enquanto isso, recebendo tratamento de “primo pobre”, o Museu Nacional da Quinta da Boa Vista, destruído pelo fogo, recebeu da UFRJ o miserê de R$ 54 mil em quatro meses, entre janeiro e abril deste ano, para as despesas com manutenção.

Dinheiro oficial

Até agosto, o Museu teve R$ 28 mil para “funcionamento”, R$ 17 mil para “reestruturação” e R$ 51,8 mil para bolsas de estudos. Nada mais.

Custo per capita

São 25.028 servidores da UFRJ, e cada um já custou cerca de R$ 72 mil este ano, em média. Não se sabe quantos estão lotados no museu.

Erro continuado

Em 2017, a folha consumiu mais de R$ 3,2 bilhões. Em 2016, foram R$ 2,96 bilhões em salários e R$ 519,5 mil para manutenção do Museu.

Destino incerto

Só em 2017 o Museu Nacional recebeu 192 mil visitantes, que pagam ingressos entre R$ 4 e R$ 20. Não se conhece o destino dessa receita.

Justiça anula eleição (e farra) na Fecomércio-MG

A juíza Luciana Rodrigues, do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região (Minas Gerais), acabou com a farra no Sistema Fecomércio-MG, ao decretar a inelegibilidade de seu presidente, Lázaro Luiz Gonzaga, anulando sua vitória por 1 voto para ficar no cargo até 2022. A juíza acabou com a farra literalmente: entre as irregularidades atribuídas a Lázaro está a aquisição de grandes quantidades de bebidas alcoólicas.

Nepotismo

A sentença do TRT-3 também registrou o “favorecimento de parentes da presidência e de conselheiros” da Fecomércio-MG.

Chave de cadeia

A Justiça já havia afastado Lázaro do cargo na gestão anterior. Ele responde a ações por fraude em licitação, lavagem de dinheiro etc.

Olha que dupla

Lázaro é candidato a vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio (CNC), na chapa de José Tadros, outro enrolado na Justiça.

A gente paga a conta

A Petrobras já gastou R$ 44 milhões em diárias para funcionários em viagem, em 2018. Só em maio foram R$ 3,6 milhões. Não admira que a estatal tenha decidido reajustar os combustíveis diariamente.

Incompetentes

Já ocorreram três incêndios durante a gestão do PSOL na UFRJ, a federal do Rio. Pode ser mera coincidência. Pode ser. Mas em nenhum dos casos havia brigadistas para prevenir ou combater o fogo.

Troco para o Museu

Michel Temer articulou – tardiamente – uma parceria de bancos e de estatais para reconstruir o Museu Nacional. Para os bancos, que em 2017 arrecadaram
R$ 27,3 bilhões só em tarifas, isso é troco.

Estado assaltante

Leitor teve de importar uma pequena peça para seu carro, à venda só no exterior, e foi assaltado pelo Estado. A peça de 18 dólares (R$ 75), após o resgate exigido pelos Correios e impostos, custou-lhe R$ 460.

Serviço público brasileiro

Um incêndio no Altiplano Leste, em Brasília, fez um morador ligar 193, como diz a propaganda oficial. Caiu em Águas Lindas (GO), onde informaram o número do Grupo de Combate a Incêndios Florestais, mas caiu na Secretaria de Pesca… E ainda querem aumentar impostos.

Suplicy absoluto

Segundo o Paraná Pesquisa, somente “Nenhum” (21,2%) somado a “Não sei” (13,9%) batem Eduardo Suplicy (PT) para o Senado, com 35,1%. Ele tem 33,1%. Pesquisa registrada sob nº SP-02378/18/TSE.

Incentivo ao mercado

Estudo da Anbima (Associação de Entidades dos Mercados Financeiro) prevê que o incentivo do mercado de capitais pode fazer o PIB crescer 12,2%, aumentando R$ 1 trilhão em impostos no período de 5 anos.

Pensando bem…

…a ironia é trágica: na Semana da Pátria foram destruídos pelo fogo os arquivos da Independência.

poder sem pudor Arte / Metro Jornal
Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo