Alimentos anti-inflamatórios combatem doenças e excesso de peso

Por Angélica Banhara

A inflamação do organismo é a mais recente ameaça à vida saudável. Ela é uma reação não só a agentes infecciosos, mas também uma resposta a antígenos, ou seja, a qualquer substância que, ao ser introduzida no organismo, provoque uma reação imunológica (o organismo se sente agredido e “reage” inflamando). Essa inflamação é um processo silencioso: você não sente dor nem percebe vermelhidão na pele. Ela atinge inicialmente as células adiposas (de gordura), favorecendo o acúmulo dessa gordura e, com isso, o ciclo vicioso de mais inflamação, que pode atingir outras partes do corpo (como o intestino, por exemplo).

"O resultado da inflamação é excesso de peso, má absorção de nutrientes e portas abertas para doenças como síndrome metabólica, diabetes tipo II, obesidade, doenças cardiovasculares, alguns tipos de câncer, doenças neurodegenerativas (Alzheimer) e autoimunes”, afirma a nutricionista e fitoterapeuta Vanderli Marchiori, Idealizadora do Centro de Estudos em Fitoterapia e Saúde (Cefitos).

Mas como evitar ou combater a inflamação do organismo?

Hábitos saudáveis, como praticar atividade física com regularidade e ter uma alimentação rica em frutas e verduras estão no topo da lista. O problema é que entre 60% e 87% da população mundial não atinge a recomendação de consumo de cinco porções de frutas e vegetais por dia. Na América Latina, 60% da população não consome esse mínimo recomendado.

Se o primeiro passo é garantir essa cota mínima de saúde no prato, existem alimentos e plantas antioxidantes (que evitam a liberação de radicais livres e o envelhecimento precoce das células) e anti-inflamatórios que podem acelerar esse processo. "Alguns ativos presentes nas plantas e nos alimentos ajudam a combater essa inflamação no organismo”, diz Vanderli.

Veja quais alimentos anti-inflamatórios incluir no seu dia a dia:

  • Cúrcuma: 1 colher de sopa de pó de cúrcuma por dia tem efeito anti-inflamatório e hepatoprotetor (protege o fígado). Também é um potente antioxidante.
  • Extrato de própolis: a própolis, produzida pelas abelhas a partir do pólen das plantas, é apontada como um dos mais eficazes anti-inflamatórios. Rica em bioflavonoides, tem ação antioxidante e bactericida. A sugestão é tomar diariamente de 15 a 20 gotas do extrato diluído em um pouco de água.
  • Gengibre: anti-inflamatório natural e antioxidante dos bons, ainda aumenta a imunidade. Tem efeito termogênico e, por isso, acelera o metabolismo, ajudando na digestão e no emagrecimento. Consuma o equivalente a 1 colher de sobremesa de gengibre todo dia. Eu bato no suco verde e tomo ao acordar.
  • Cebola roxa, alho, nabo, rabanete e almeirão: ricos em quercetina, rutina e taxifolina, inibem a produção de substâncias inflamatórias. Quando for cozinhar, calcule cerca de 1 colher de sopa de cebola roxa por pessoa.
  • Amendoim, feijão, amêndoa, frutas e vegetais: ricos em kaepenferois e bioflavonoides, que têm ação anti-inflamatória e anticarcinogênica (previnem tumores).
  • Chá verde (Cammelia sinensis), uvas verde e roxa, maçã verde: ricos em epigalocatequinas, que protegem o endotélio (camada celular interna dos vasos sanguíneos, praticamente o maior órgão do nosso corpo).
  • Uva roxa e amendoim (aquela pele vermelha que envolve o grão): ricos em resveratrol, poderoso antioxidante que destrói as células hepáticas inflamatórias.
  • Maçã, pera, malva e alecrim: ricos em ácido elágico, polifenol com fortes propriedades antioxidantes.
  • Milho, chá verde, frutas e vegetais: ricos em luteolina, que tem efeito desintoxicante do organismo.
  • Frutas cítricas, frutas amarelas e camomila: ricas em tangeretina (protege o fígado).

Evite os alimentos pró-inflamação

Lógico que, para turbinar o efeito antioxidante e anti-inflamatório desses alimentos é importante cortar ou reduzir aqueles que desencadeiam processos inflamatórios no organismo, a começar por embutidos (liguiça, salsicha, mortadela, salame) e frituras.
Os carboidratos com índice glicêmico (IG) alto também são campeões de inflamação: açúcar, doces, biscoito e salgadinhos de pacote, bolos, arroz e pão brancos, refrigerante normal e sucos açucarados.

A sugestão é trocar os refinados (arroz, pão e macarrão brancos) pelos integrais, mais nutritivos e ricos em fibras, que fazem uma faxina no organismo.

E fica a dica: comer pelo menos cinco porções de frutas e legumes todos os dias e incluir as sugestões da nutricionista Vanderli no dia a dia.
Perder o excesso de peso é a consequência de uma alimentação mais equilibrada, rica em antioxidantes e alimentos anti-inflamatórios. E, de quebra, você vai ficar mais disposta, saudável por dentro e bonita por fora.

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo