Prejudicados pela ANS não têm a quem recorrer

Por Cláudio Humberto

Para reduzir os custos dos planos de saúde, nunca as mensalidades extorsivas que praticam, e aumentar a rentabilidade das empresas do setor, a “agência reguladora” ANS aplicou duas punhaladas nas costas dos brasileiros em apenas dois dias. Mas o pior é que não há instância de recurso: resoluções das “agências reguladoras” têm força de lei, ignoram o Congresso e nem sequer precisam de sanção presidencial.

Crime contra a economia

A primeira punhalada da ANS contra os brasileiros foi impor aumento nos planos individuais de 10%, o quádruplo da inflação anual.

Isto foi muito baixo

Menos de 24h depois, ANS teve a ousadia de oficializar outra invenção dos planos de saúde: o sistema de “franquia” e “coparticipação”.

Eles não têm limite

A ANS afirma que a franquia “não é obrigatória”, o mesmo de quando criou planos coletivos. Depois é só forçar a “opção voluntária”.

Estratégia cínica

A ANS aumenta o plano individual 4 vezes além da inflação para forçar o cliente a migrar para o coletivo, onde os valores não são controlados.

Portugal barra brasileiros, o governo ‘acompanha’

A imigração portuguesa informou, nesta quinta (28), haver barrado o ingresso de 1.336 brasileiros em 2017. Não passaram do aeroporto. Apesar da gravidade da política portuguesa, até porque há um acordo entre os dois países que dispensa seus nacionais de visto de entrada, o Brasil nem sequer considera ameaçar Portugal com o princípio universal da reciprocidade. É a diplomacia de “oferecer a outra face”.

Nação luso-brasileira

A imigração lusitana informa que há 85 mil brasileiros em Portugal. Grande coisa. No Brasil, vivem mais de 1 milhão de portugueses.

Santo remédio

O ex-presidente Itamar Franco freou a onda de brasileiros barrados em Portugal ordenando tratamento idêntico a igual número de portugueses.

Acompanhamento

Consulados brasileiros em Portugal têm “acompanhado” o caso dos inadmitidos, mas o Brasil não avalia adotar tratamento recíproco.

Cobrar 400% ao ano é crime

A CPI dos Cartões de Crédito votará na semana que vem o relatório sobre os juros criminosos de 400%. Com inflação de 2,9% e a Selic em 6,5%, se não houver indiciamentos, terá sido apenas outra CPI inútil.

Suprema parcialidade

A soltura de José Dirceu levou o senador José Medeiros (Pode-MT) a acusar o Supremo Tribunal Federal de julgar com parcialidade. Para ele, a lei não pode ser aplicada “só para ladrão de galinha”.

Penitenciária, já

Preso desde 7 de abril, Lula custa R$ 10 mil por dia aos cofres públicos. Até agora, no barato, já nos levou mais de R$ 800 mil. Transferido para uma penitenciária, custaria R$ 2,7 mil por mês, a média nacional.

Senador Datena

A julgar pelas pesquisas, a candidatura de Datena ao Senado por São Paulo liquida as chances de reeleição de Marta Suplicy (MDB). As duas vagas seriam do apresentador e do ex dela, Eduardo Suplicy (PT).

Gastos secretos

A fatura dos cartões corporativos superou R$ 19 milhões em apenas cinco meses. Mais da metade do gasto é protegido por sigilo, em nome da “segurança nacional”, e grande parte é sacada na boca do caixa.

Outras prioridades

A Comissão de Seguridade da Câmara decidiu incluir o turismo como direito fundamental do idoso. A preocupação dos idosos, entretanto, é com outros direitos bem mais fundamentais, como saúde e segurança.

Quando o crime compensa

Em Brasília, a Polícia Militar prendeu um estelionatário que há anos usava farda da FAB para aplicar golpes no comércio,. Na delegacia, ele prometeu ir a eventuais audiências na Justiça e foi liberado, impune.

A volta da vassoura

Victor Eugenio Filho, afilhado do casal Jânio e Eloá Quadros, lançou sua candidatura a deputado federal pelo PTB-MS. Vai usar o símbolo do padrinho, a vassoura. Seu pai foi secretário particular de Jânio.

Pensando bem…

…se gritar solta ladrão…

CLAUDIO HUMBERTO ARTE Arte / Metro Jornal

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo