Guia do comentarista

Por Rubem Penz

Faz muitos anos criei o Guia do Comentarista Instantâneo para auxiliar aqueles que nada sabem de futebol a socializar quando instados a se pronunciarem sobre o nobre esporte bretão. Platitudes como “é preciso compactar o meio de campo” e “dois a zero é um placar perigoso”, ditas na hora certa, aplicariam o verniz necessário. Hoje, volto ao tema no especial Copa. Dicas infalíveis. Use sem restrições no trabalho, na família e com os amigos:

Dica nº1 – quando entrar uma seleção africana em campo, diga uma das seguintes frases:

a) Todo cuidado é pouco: vão tentar vencer na base da imposição física e da velocidade;

b) Tem que aplicar uma marcação alta, senão vão gostar do jogo;

c) Não tem mais a ingenuidade de outrora, os craques jogam nos principais times da Europa;

Dica nº2 – quando entrar uma seleção vinda do leste europeu, diga de modo grave:

a) A escola da antiga Iugoslávia é das mais respeitáveis do mundo;

b) Como nos sul-americanos, o futebol para eles é trampolim social – é outra entrega;

c) Os craques jogam na Inglaterra, Alemanha, Espanha, França… Não tem mais jogo fácil;

Dica nº 3 – quando entrarem os latino-americanos em campo, comente en passant:

a) Muito passionais… Parecem sempre assim, a um passo do fracasso ou da glória;

b) Esse negócio de serem violentos é mito. São aguerridos, é um futebol pegado;

c)  Sei não – estão sem personalidade, muito cedo são exportados para a Europa;

Dica nº 4 – quando uma seleção encantar com o futebol envolvente:

a) Nossa, vi a Bélgica sobrando. Os deuses do futebol costumam castigar tamanha beleza;

b) Parece favorita. Mas lembra da Holanda de 1974? O Carrossel desmontou na final;

c) Não jogam mais do que o Brasil de 1982, e deu no que deu…;

Dica nº 5 – quando for jogo do Brasil:

a)  Neymar é um paradoxo: no Brasil, é quase um intocável e, fora, batem nele sem parar;

b) Rodízio de capitães é falta de referência moral. A cara do Brasil de hoje;

c) Nosso jogo é sempre o mesmo: o Brasil só perde para si, para seus fantasmas.

Dica nº 6 – sobre o árbitro eletrônico:

Futebol é um jogo de contato e interpretação, por isso, só arrumaram um modo de errar.

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo