Férias sem enjoo

Por Ivana Moreira

Enfim, férias! Malas no carro, músicas selecionadas, lanchinhos preparados. Tudo certo para mais uma viagem em família. Mas basta colocar o pé na estrada para as reclamações sobre enjoo começarem. Será que é frescura das crianças? O que leva as crianças a passarem mal com tanta frequência dentro dos automóveis? A ciência explica.

Segundo a médica Mariane Franco, presidente do Departamento de Pediatria Ambulatorial da Sociedade Brasileira de Pediatria, a cinetose, conhecida como “mal do movimento”, atinge principalmente crianças entre 2 e 12 anos. O mal é provocado por desencontros entre os sinais que o cérebro recebe dos olhos e do labirinto, no ouvido. “Os principais sintomas são náuseas, desconforto físico, salivação excessiva, tonturas, dor de cabeça e vômitos”, explica Mariane.

E não é só no carro que as manifestações acontecem. Qualquer meio de transporte que provoque movimento expressivo, como barcos, pode desencadear o mal-estar. De acordo com  a médica, os pais não devem automedicar os filhos na tentativa de evitar que o enjoo aconteça. O pediatra das crianças é a pessoa indicada para prescrever a medicação mais adequada para estabilizar os sintomas do mal do movimento.

O problema também pode ser evitado com dicas simples, que podem ser colocadas em prática quando a família for pegar a estrada. Confira cinco dicas dos especialistas.

coluna canguru Reprodução

5 dicas para passageiros de todos os tamanhos

O motorista deve dirigir de modo suave e, sempre que possível, evitar freadas, acelerações brucas e passar sobre buracos.

Distraia quem estiver passando mal. Até cantar em família pode ajudar.

Não há problema em tomar refrigerante ou comer biscoitos. Mas é bom evitar café.

Use um travesseiro ou um suporte para evitar que a cabeça balance.

Ligue o ar condicionado ou abra as janelas para a manter a circulação de ar fresco na cabine.

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo