Dérbi da paz?

O dérbi do sábado – quando a Ponte Preta venceu o Guarani por 3 a 2 – ganhou grande espaço na tribuna da Câmara ontem. Vários parlamentares trataram do assunto, alguns, como o pontepretano Jorge Schneider (PTB) ironizaram o rival. “Queria parabenizar o Guarani, pois os jogadores souberam perder para um time grande”, disse Schneider. Mas nada se comparou à constrangedora tentativa do vereador Antônio Flôres (PSB) de convencer seus eleitores de que a partida se deu de forma tranquila “Queria dizer que a gente esperava o Dérbi da Paz e foi isso mesmo que aconteceu”, disse o vereador, esquecendo-se simplesmente de que um torcedor (Leonardo Bernardes), de apenas 18 anos, foi morto a tiros em confronto das torcidas. “Mas aquilo foi um fato isolado”, emendou o vereador.

Inauguração de pedra fundamental
Více-lider do governo na Câmara, o vereador José Carlos Silva (PSB) disse ontem que no dia 20 de maio (ou no máximo dia 26, dependendo da agenda do prefeito Jonas Donizette (PSB), será colocada a pedra fundamental para a construção do PS Metropolitano, no Padre Anchieta.
De acordo com o vereador, o projeto de construção da unidade de saúde teve início em 2007, e já não sabia mais o que dizer aos eleitores da região. “A gente estava sendo motivo da chacota, já que se anunciava, mas a obra não saia”, disse. Agora ele aposta que o projeto vai sair do papel. A obra vai exigir investimentos de R$ 7,5 milhões, valor que será dividido pelo governo federal e a prefeitura. A estimativa é que o PS será concluído em 18 meses.
A unidade deverá ser erguida em uma área na Vila Padre Anchieta, próxima de onde hoje é a unidade de pronto-atendimento da região.