Ah, se soubessem o que eu sei

Dia destes ouvi em um programa de rádio um jornalista, sindicalista, professor universitário, dizer que o liberalismo e o conservadorismo não são abordados no ambiente acadêmico porque faltam bibliografias. Desta forma, queria ele justificar a razão de as faculdades brasileiras terem adotado há muito tempo apenas autores marxistas, comunistas, petistas e outros istas. Como sabemos, todos eles o que querem realmente é acabar com as liberdades individuais e coletivas. Parece mentira que tamanha desonestidade intelectual seja demonstrada sem nenhum pudor e contraponto. Pensei em sugerir Burke, Ayn Rand, Mises, Russell Kirk, João Pereira Coutinho, Frédéric Bastiat, Milton Friedman, Tocqueville, Chesterton, Roberto Campos, Hayek, Pondé, Roger Scruton, alguns dos que me lembro agora. Infelizmente é assim. Como diz o ditado, “de que adianta dar pérolas aos porcos?” Quero dizer que há uma bibliografia gigantesca à disposição da academia, deliberadamente ignorada em prejuízo dos alunos e da formação da própria sociedade. Isso explica em boa parte por que as faculdades brasileiras se tornaram ninhos de formação de zumbis esquerdistas.

Semana passada tivemos um momento histórico em Porto Alegre, durante o Fórum da Liberdade, sediado na PUC. Os juízes Sérgio Moro, da Lava Jato, e Antonio Di Pietro, da Mãos Limpas da Itália nos anos 90, palestrando juntos. Algo a ser reverenciado. E não é que vejo umas menininhas e uns rapazotes de 16, 18 anos, protestando contra o juiz Sérgio Moro? Raivosos, bravos. Alguns pareciam espumar pela boca. Sério, crianças que sequer se sustentam gritavam xingamentos contra alguém que está limpando o futuro pra eles. Não culpo essa gurizada, pois eu também já tive essa idade e sei que o desejo e a ânsia de impor nossa visão de mundo é gigante, embora saibamos quase nada sobre o que é o mundo. Nessa idade, os conceitos complexos parecem ainda mais complexos e por isso muitos buscam atalhos em respostas fáceis e simplistas. Por isso são presas fáceis para os predadores socialistas no ambiente educacional. Não eram mais do que 20, mas choca comprovar que a doutrinação comuno-socialista-populista nas escolas acaba fritando o cérebro dos mais fragilizados emocional e psiquicamente.

Pobres moços, ah, se soubessem o que eu sei.