Governadores pagam mico com dinheiro público

Nove governadores do Nordeste abandonaram os afazeres e torraram dinheiro público, inclusive no aluguel de jatinhos, para viverem um dos momentos mais desmoralizantes desde a prisão do ex-presidente Lula por corrupção. Os nove foram barrados por um despacho do juiz Sérgio Moro, assinado na véspera, proibindo demagogia rastaquera na carceragem da Polícia Federal, onde meliante comum cumpre pena.

Gesto eleitoral

O objetivo da visita não era político, destinado a Lula. Era a chance de fazer média com eleitor ignorante que ainda votaria do meliante.

Incompetência

Ansiosos pelo gesto demagógico, os governadores nem sequer se deram ao trabalho de checar na PF se a visita seria autorizada.

Inesquecível

Governadores pagaram um mico inesquecível: até tiveram acesso à sede da PF em Curitiba, mas foram barrados.

Sorrisos amarelos

Barradas, suas excelências não reclamaram, não são loucos. Mas posaram para foto exibindo o despacho de Sérgio Moro. Foi engraçado.

Empresa de R$50 quer
operar satélite de R$2,8 bi

A americana Viasat Inc. usou participação de apenas R$50 (cinquenta reais) para criar uma empresa brasileira, a Exede Rio, para fingir que é nacional o grupo que a estatal Telebrás contratou sem licitação para explorar o único satélite brasileiro (SGDC), que deve gerar negócios bilionários todos os anos. A nova empresa foi criada em 2017 para se habilitar à contratação, pela estatal Telebrás, para operar o satélite.

Terceira seguida

A Telebrás sofreu a terceira derrota na Justiça, dessa vez no Tribunal Regional Federal da 1ª Região, que manteve a suspensão do contrato.

Tentativa frustrada

O Brasil investiu mais R$ 2,8 bilhões no satélite SGDC, para baratear e democratizar o acesso a internet e proteger dados governamentais.

Não haverá segredos

Com a contratação da Viasat, os americanos poderiam ter acesso inclusive a dados miliares secretos, que em tese seriam protegidos.

Dura lex, sed lex

O Ministério Público deveria processar os governadores do Nordeste que abandonaram seus afazeres e torraram dinheiro público, alugando jatinhos, para tentar visitar um criminoso comum em Curitiba. Vexame.

Petista milionário

A rigor, Lula não é um preso comum. Primeiro ex-presidente cumprindo pena por roubar, é também um dos poucos milionários no cárcere: ontem, a Justiça paulista bloqueou bens dele no valor de R$30 milhões.

Pauderney em desencanto

O deputado Pauderney Avelino (DEM-AM) avalia chutar o balde e abandonar a política. Além do desencanto, não vê como seria possível ganhar eleição com o limite irreal de gastos fixado pela lei eleitoral.

Tardança marota

O STF adota atitudes diferentes para casos idênticos. Homologou rapidamente o direito de Lula não extraditar o terrorista Cesare Battisti, mas demora a reconhecer idêntica prerrogativa do presidente Temer.

Cansou de esperar

A tucana Maria Helena Guimarães deixou a secretaria-executiva do MEC porque esperava virar ministra, com a saída de Mendonça Filho. O DEM fez barba, cabelos e bigodes e indicou o substituto.

Falta alguém

A PGR quer condenar o tucano Aécio Neves por obstrução à Justiça pela lei contra abuso de autoridade, com “o objetivo de punir juízes e procuradores”. Mas o seu autor é de Roberto Requião (MDB-PR).

Denúncia em família

A ação contra Aécio Neves (PSDB-MG) que vai ser analisada pelo STF no dia 17 é oriunda da delação da JBS, onde o senador é acusado de pedir R$ 2 milhões em propina. A irmã e o primo também são réus.

‘All in’

Os governadores Raimundo Colombo (PSD-SC) e os tucanos Beto Richa (PR), Geraldo Alckmin (SP) e Marconi Perillo (GO), são citados na Lava Jato, mas estão sem foro privilegiado para disputar eleições.

Contagem regressiva

Faltam só 64 dias para a Copa do Mundo, 179 para a eleição e 4.410 para acabar a primeira pena de prisão de Lula.

Poder se Pudor: O Lott de FHC

Quando ouviu de FHC, em primeira mão, que José Serra seria o candidato do governo a presidente, em 2002, o então presidente da estatal Furnas Centrais Elétricas, Luiz Carlos Santos, saiu-se com esta:

– O senhor vai repetir JK, presidente: será reconhecido pela História, mas não conseguirá eleger o próprio sucessor.

– Você acha Serra tão ruim assim?

– Serra é o Lott alfabetizado, presidente – “matou” Santos.

Candidato de JK, o general Henrique Teixeira Lott perdeu a eleição. Serra também.