Rumo a Curitiba

Os campineiros vão a Curitiba para se somar aos militantes de esquerda que montaram acampamento em frente à sede da Polícia Federal da cidade para pressionar contra a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Uma caravana vai partir amanhã de Campinas e ficará na cidade paranaense até sábado. Ontem à noite integrantes da Frente Brasil Popular se reuniram para traçar estratégias de mobilização para os próximos dias. Além de lotar ônibus rumo a Curitiba, haverá um ato simultâneo amanhã nas capitais. “O ato será nas capitais. Vamos definir se teremos atos em Campinas ou se vamos para São Paulo”, disse Durval de Carvalho, presidente do PT de Campinas. Lula foi condenado a mais de 12 anos por corrupção e lavagem de dinheiro. O PT diz que Lula é inocente e a prisão é ilegal.

Mudança no Camprev

A oposição ao Sindicato dos Servidores de Campinas promete fazer um protesto nesta sexta-feira, das 7h às 10h, em frente à casa do prefeito Jonas Donizette (PSB). Com o tema “Tirem as mãos da nossa aposentadoria”, o ato pretende mostrar a insatisfação contra o projeto de lei que altera o Camprev – Instituto de Previdência Municipal. Entre as mudanças propostas estão a imposição de um teto salarial com tabela do INSS, no valor de R$ 5,6 mil, para os servidores. Quem quiser receber acima do teto terá de pagar um percentual de 8,5% sobre a diferença entre o que ele ganharia e pretende receber quando deixar o batente. O secretário de Relações Institucionais, Wanderley de Almeida, disse que as mudanças não atingem os atuais servidores, mas apenas os que foram contratados após a aprovação da lei. Cria também um fundo solidário que será capitalizado com receitas públicas e autarquias. Almeida diz que sem as mudanças a saúde financeira do Camprev estará comprometida e até as aposentadorias poderiam correr riscos.