Justiça pode deixar que Lula se eleja mesmo preso

Por Metro Jornal Brasília

Como há precedentes para todas as formas de absurdo no Brasil, até nas decisões do Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-presidente Lula ganhou confiança após ganhar, na quinta (22), a “pizza provisória” até o dia 4. Uma das opções de Lula é disputar a eleição mesmo preso, sob os auspícios do STF, fazendo o Brasil correr o risco de ser o primeiro país a eleger presidente um corrupto condenado na Justiça. Empossado, o petista seria solto e todos seus processos, suspensos.

Tese de advogado

Acatado o Recurso Especial ao Superior Tribunal de Justiça, Lula teria “efeito suspensivo” da pena. O STF pode seguir esse mau caminho.

Suspende até a ficha limpa

Com pena suspensa no STF, Lula pode fazer registro da candidatura, e a Justiça Eleitoral, em tese, também poderia fechar os olhos.

Sonho dele

Lula é ficha suja, mas sonha com uma solução que não apenas o livre da cadeia, como também garanta sua candidatura presidencial.

Português claro

Se o STF fizer tudo o que o ex-presidente deseja, o Brasil pode eleger e empossar o primeiro presidente oficialmente corrupto.

Ministro elogia senador
que insultou Temer

Em Alagoas para representar Michel Temer na inauguração de uma obra federal (trecho da duplicação da BR-101), terça (27), o ministro Moreira Franco aproveitou para fazer política. Mas exagerou na dose, derramando-se em elogios a Renan Calheiros, que insultou seu chefe de “presidente ilegítimo”, “líder de facção”, “covarde” e ainda acusou o governo de incompetente, comparando-o à “seleção de Dunga”.

Toma lá, dá cá

Esteve “naquele momento lindo” outro ministro, que trocou cargos no governo local por apoio a Calheiros: Maurício Quintella (Transportes).

Elogios ao filho

Além de elogiar o senador que xinga Temer e apoia Lula, Moreira Franco o parabenizou por Renan Filho, o governador de Alagoas.

Jatinho da alegria

Simpaticão, Moreira ainda ofereceu aos alagoanos carona no jatinho da FAB para Brasília. Quem estava a bordo é um segredo de Polichinelo.

Saldo do troca-troca

Ao menos 37 deputados devem trocar de partido na janela de infidelidade partidária deste ano. Outros oito deputados ainda articulam a mudança: infiéis representarão quase 9% da Câmara dos Deputados.

Emoção no ar

O advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, concedia entrevista ao “Bastidores do Poder”, da rádio Bandeirantes, quando foi interrompido pela notícia da prisão domiciliar de Maluf. Ele embargou a voz, emocionado. “Sou advogado das antigas”, murmurou, encabulado.

Críticas já começam

Mal lançou a candidatura a presidente pelo PRB, o ex-deputado Flavio Rocha já é criticado por aparecer com o ex-ministro do Desenvolvimento Industrial Marcos Pereira, político denunciado no escândalo da JBS.

Ele tem a força

Mesmo preso na Lava Jato, Orlando Diniz continua influente no setor que liderava. À exceção dele próprio, que saiu da disputa, foi mantida toda sua chapa na eleição da Fecomércio-Rio.

Baena em Lima

O governo do Peru concedeu agrément e Rodrigo Baena Soares será embaixador em Lima. Filho do saudoso Baena Soares, ex-secretário-geral da OEA, ele é um dos diplomatas brasileiros mais admirados.

DEM cresce

O DEM é caso raro na Câmara: nenhum dos deputados federais deixou o partido na janela de infidelidade partidária. E ainda vai ganhar ao menos cinco parlamentares. Arthur Maia (PPS-BA) pode ser o sexto.

Formação de… “grupo”

Vice de Eduardo Cunha (MDB) quando era presidente da Câmara, Waldir Maranhão (MA) deixou o PP pelo PT de Lula e Dilma, assim como Celso Pansera, que abandonou Cunha para se filiar ao PT.

Diferente

Repercutiu em Maricá (RJ) o vídeo que mostra o ex-prefeito do Rio Eduardo Paes (MDB) sendo xingado ao sair do hotel Vitória, em Campinas. Um jornal do município tripudiou: “Maricá, eu tô ferrado lá”.

Pensando bem…

…o “atentado” à comitiva de Lula parece ter tanta credibilidade quanto promessa de político em campanha eleitoral.

ch
Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo