STF decide hoje se extingue agricultura familiar

Por Cláudio Humberto

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, vai dar o “voto de minerva”, nesta terça (27), que pode resultar na proteção ou na extinção da agricultura familiar no país. Quatro ações tentam ganhar no tapetão, atropelando a ordem jurídica, o Código Florestal aprovado de goleada no Congresso. A votação está empatada em 5×5 no STF, com ministros “jogando para a plateia” ambientalista. Se desempatar contra o Código, 4,6 milhões de pequenos agricultores deixarão de existir.

E a temporalidade das leis?

As ações querem atropelar a temporalidade das leis e punir pequenos agricultores por usarem áreas de acordo com as leis de suas épocas.

Olha só o absurdo

É como o STF decidir se prédios de 10 andares devem ser demolidos porque a lei mudou e já não permite, como antes, nada acima de 5 andares.

Sabe o alface do dia a dia?

Se considerar “inconstitucionais” os artigos 49 e 67 do Código, ficará inviável a produção de alimentos que abastecem a mesa do brasileiro.

Ambientalistas mentem

O agricultor não é inimigo do meio ambiente: a vegetação protegida por eles em suas terras representa mais de 20% do território nacional.

Wagner é outro sindicalista que ficou rico na política

Melhorou muito de vida do ex-sindicalista Jaques Wagner, carioca que chegou na Bahia puxando a cachorrinha até virar diretor de sindicato em Camaçari. Ao cumprir mandado de busca contra o ex-ministro, a polícia o encontrou no 13º andar do luxuosíssimo edifício “Mansão Victory Tower”. Ali, cada apartamento naque prédio não sai por menos de R$ 10 milhões. Do sindicalista, só resta a barba estilo Lula.

Precisa ter ‘muito’

O edifício onde mora o ex-governador e ex-ministro Jaques Wagner fica no mais exclusivo endereço de Salvador: o Corredor da Vitória.

Coisa de milionário

No prédio-mansão de Jaques Wagner, cada andar
é um apartamento. E o morador chega ao mar
utilizando um teleférico.

Geddel e meio

A PF indiciou Wagner por embolsar R$ 82 milhões
roubados das obras do estádio Fonte Nova. Algo como “mais de um Geddel e meio”.

Cara-de-pau tem limite

Os críticos de militares nas favelas do Rio atacam a revista de mochilas de menores, mas não o uso que o tráfico faz desses garotos como “aviões”… para abastecer de drogas muitos deles, os críticos.

Autismo agravante

A depressão do ministro Leonardo Picciani (Esporte), que preocupa o Planalto, é ocasionada pela prisão do pai e do irmão Felipe, segundo amigos, e agravada pelo grau leve de autismo nele diagnosticado.

Largando na frente

O prefeito paulistano João Doria já aprendeu que não existe espaço vazio em política, enquanto o veterano Geraldo Alckmin, ainda não. A reunião de Doria com o ministro Gilberto Kassab, ontem, mostrou isso.

Ficando para trás

Enquanto João Doria age como candidato a governador, costurando alianças, Alckmin reluta em operar como pretendente à presidência, ausente nos demais Estados e sem articular o próprio projeto político.

Eleição por nossa conta

O total exato dos recursos disponíveis através do fundão eleitoral (no mínimo R$ 1,7 bilhão) para a campanha 2018 será divulgado em 18 de junho. Além disso, ainda haverá R$ 780 milhões do fundo partidário.

PT tem reforma própria

O projeto de reforma da Previdência do PT está há 10 anos nas gavetas do Senado. E, claro, não mexe nos privilégios de 3 milhões de servidores, que custam o mesmo que 30 milhões do setor privado.

Alô, polícia

O American Express, que cobra taxas siderais, tirou o site do ar “para revitalização” e só vai voltar, “se não houver imprevistos”, após o dia 5. O cliente otário que espere. Nos EUA, isso jamais aconteceria.

Respire fundo

A propaganda eleitoral começa oficialmente em 16 de agosto, como comícios, carreatas, distribuição de material gráfico e propaganda (gratuita) na Internet. O guia na rádio e na TV, só em 31 de agosto.

Pensando bem…

…a intervenção federal não é um Plano Real.

Poder sem pudor: O desabafo de Getúlio

A poucos dias de “deixar a vida para entrar na História”, Getúlio Vargas desabafou com o seu ministro da Viação, José Américo de Almeida:

– Impossível governar este país. Os homens de verdadeiro espírito público vão escasseando cada
vez mais…

– E o que o senhor acha dos homens de seu governo?

– A metade não é capaz de nada, e a outra metade é capaz de tudo…

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo