O futuro está chegando

Por Diego Casagrande

Muito em breve, ainda este ano, os cidadãos norte-americanos poderão usufruir dos serviços de transporte do carro sem motorista. Sim, é aquele veículo onde não haverá ninguém além do próprio passageiro, e que circulará livremente pelas ruas coletando clientes. A pessoa chamará pelo aplicativo instalado no celular e pronto! Em minutos o carro vai estacionar no lugar solicitado, o sujeito entra e será levado para o destino. Só ele e o carro.

Quando eu era criança carros autônomos só apareciam em filmes e desenhos animados. Isso parecia tão distante. Mas em poucas décadas a tecnologia explodiu e vem crescendo em progressão geométrica. E lá no hemisfério norte o conhecimento científico é tão grande que o futuro está chegando muito depressa.

Há alguns dias a Waymo, divisão da gigante Google, obteve autorização do Departamento de Transportes do Arizona para explorar comercialmente o transporte de passageiros com carros autônomos. A tecnologia já vem sendo testada em Phoenix. O Arizona se tornou um paraíso para que este tipo de tecnologia fosse testada a partir de 2015, quando o republicano Doug Ducey assumiu o governo do estado. Empresário, homem de mercado com atuação na iniciativa privada, colocou seu estado na frente, derrubando inúmeras regulações e burocracias que impediam testes e o desenvolvimento do setor. Resultado? O Arizona não para de atrair investimentos nesta área e os Estados Unidos em breve estarão na frente de todos, considerando apenas tal tecnologia.

No início deste mês, uma empresa de capital 100% privado do bilionário Elon Musk, lançou ao espaço o Falcon Heavy, o mais moderno dos foguetes construídos até hoje. Dentro, o carro elétrico da Tesla, empresa que também pertence a ele. Musk diz que este é o primeiro passo para no futuro enviar uma missão tripulada a Marte. Ele está convicto de que nós humanos colonizaremos o planeta vermelho. O dono da Amazon, Jeff Bezos, tem o mesmo sonho com sua empresa de foguetes, a Blue Origin. Ele tem por objetivo propiciar que lá na frente milhões de pessoas possam viver no espaço. Impossível duvidar.

O amanhã chegou, mas ainda há coisas impensáveis que virão. O tempo e a humanidade livre não sossegam. Como disse certa vez o matemático Alan Kay: “A melhor forma de prever o futuro é criá-lo”.

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo