Planos de saúde dão nova prova de força na ANS

Planos de saúde plantaram notícias e “denúncias” de micro e pequenos empreendedores que criaram empresas para ter acesso à contratação do serviço. Era só um pretexto. Em vez de punir a fraude, a ANS cumpriu o script das operadoras, criando dificuldades para contratação de planos de saúde por empresas de pequeno porte. Empreendedores não têm acesso a planos individuais porque a opção já não é oferecida.

Tudo dominado

A influência das operadoras mostra como agências reguladoras se comportam como sindicato das empresas submetidas a sua atuação.

Manda quem pode

Um dos setores mais poderosos da economia, hoje, os planos de saúde faturaram R$ 178 bilhões em 2017. E mandam muito na ANS.

Que vergonha…

Operadoras agora estão autorizados pela ANS, como queriam, a romper contratos e aumentar a burocracia para o plano corporativo.

Livres para assaltar

A ANS fecha os olhos à falta escrúpulos das operadoras, que só têm planos coletivos porque podem reajustá-los sempre que quiserem.

TCU quer R$ 206 milhões
da Andrade de volta

Somente no âmbito do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), o Tribunal de Contas da União (TCU) pretende recuperar um total de R$ 206 milhões do consórcio liderado pela empreiteira Andrade Gutierrez. São R$ 56 milhões (valores de 2008) do pagamento indevido de verbas de chuva (pagamento por equipamentos parados), além da execução de garantias e suspeita de sobrepreço na obra.

Executando garantias

O TCU está determinado a executar garantias de R$ 70 milhões, em razão de irregularidades diversas no mesmo empreendimento.

Sobrepreço milionário

O sobrepreço de R$ 80 milhões foi atestado pelo TCU nas obras da Unidade de Destilação Atmosférica e a Vácuo do mesmo Comperj.

Como o diabo da cruz

Essas ações valorizam a presença do TCU na negociação de acordos de leniência, mas a Andrade Gutierrez foge disso como da cruz.

Convescote de corruptos

O evento do qual Lula participaria na Etiópia, caso não tivesse sido proibido de deixar o país, era apenas um convescote de ditadores africanos reunido para discutir, que caras-de-pau, a “corrupção”.

Outra enganação

Acabar com o parcelamento sem juros nos cartões de crédito, com a “garantia” de redução dos juros, é jogada semelhante à cobrança de bagagem sob a promessa de reduzir o preço das passagens aéreas.

Polimento em ação

Os portugueses, que chamam a Lava Jato de “Polimento” (não usam a expressão), decidiram extraditar para o Brasil o brasileiro Raul Schmidt, acusado de pagar propina a ex-diretores da Petrobras. A Justiça de lá já ordenou sua prisão. Schmidt tem dupla cidadania desde 2011.

Boa disposição

O presidente Michel Temer impressionou os entrevistadores da rádio Bandeirantes, nesta segunda (29), pela boa disposição. Encarou 1h20 de programa numa boa, nem mesmo foi ao banheiro.

Que diferença!

O ministério público português investiga o ministro das Finanças, Mário Centeno, por recebimento de vantagem, crime punível com até 5 anos de prisão. Ele pediu e ganhou ingressos para um jogo Benfica x Porto.

Botando pra quebrar

Tem gente recomendando ao governo Michel Temer que abandone a reforma da Previdência para precipitar a falência do Brasil, à moda da Grécia, perdendo condições de pagar salários de servidores e aposentadorias no setor público. Só assim, dizem, a ficha vai cair.

Batendo um bolão

As sabatinas do programa “Bate-Bola na Veia”, da ESPN, mostraram que o candidato Romeu Tuma Júnior demonstrou que é, de longe, aquele que mais se preparou para presidir o Corinthians.

Agora vai

Torcidas rivais celebram a contratação do goleiro Julio “7x1” Cesar, pelo Flamengo. Dizem que a missão do jogador, em fim de carreira, será fazer a torcida rubro-negra esquecer rapidamente do Muralha.

Pergunta no tribunal

Em vez de brigar pelo auxílio-moradia de R$ 4,3 mil/mês, autoridades não deveriam recusar o privilégio em respeito à própria biografia?