Dossiê faz Meirelles segurar MP ilegal das aéreas

Dossiê faz Meirelles segurar MP ilegal das aéreas

O ministro Henrique Meirelles (Fazenda) recebeu discos com 10 gigabytes de documentos e dados sobre a ilegalidade das medidas do governo Dilma autorizando a compra direta de passagens às empresas aéreas sem licitação, pagando com cartão corporativo e dispensando-as de tributos na fonte e das certidões legais. As aéreas são as únicas fornecedoras que não são multadas por irregularidade fiscal, porque trataram de incluir isso no edital que negociaram com a turma de Dilma.

Pode isso?

Órgãos de controle como AGU, Procuradoria da Fazenda Nacional, CGU etc pagaram passagens sem checar preços, nem exigir certidões.

Dreno de dinheiro

O governo federal pagou R$ 290 milhões em passagens, em 2017, por acreditar que os preços eram menores, sem fazer verificação externa.

Malandragem

Cartão corporativo usado para pagar passagens, com CNPJ do Banco do Brasil, estimula pagamento a empresas com irregularidades fiscais.

Intermediário

“Venda direta” é falácia, porque há a intermediação de uma empresa de tecnologia, Envision, que custa R$ 4,7 milhões por ano ao governo.

Coluna Claudio Humberto 22 de janeiro de 2018

Suspeita: 80% da Mega-Sena não têm vencedor

Aumentaram as suspeitas envolvendo os sorteios da Mega-Sena pelo insustentável sigilo dos nomes dos ganhadores: levantamento indica que 80% dos sorteios de 2017 não tiveram ganhador. Dos 110 concursos no ano passado, apenas 22 tiveram acertadores (nas seis dezenas). A maioria dos prêmios sai após cinco acúmulos, em média. Em 2018, o primeiro pagamento saiu apenas no quarto sorteio.

Sem transparência

Ao todo, foram 43 apostas vencedoras da Mega-Sena durante todo o ano passado, 17 só na Mega da Virada. Nenhum nome foi divulgado.

Erro suspeito

Na Mega da Virada houve três apostas vencedoras na mesma lotérica. A Caixa jura que o problema foi “validação” de um bilhete três vezes.

Isso ninguém sabe

Cerca de 10% do prêmio não são pagos nos sorteios de forma alguma e acumula até cinco vezes antes de ser pago em concursos específicos

Apoio à derrubada do veto

Michel Temer não está contrariado com o movimento de deputados e empresários, e com apoio do presidente do Sebrae, Afif Domingos, pela derrubada do veto presidencial à Lei do Refis. Muito pelo contrário.

Coronelismo tucano

Vencendo novamente em São Paulo este ano, o PSDB completará 28 anos à frente do maior Estado brasileiro. É a mais longa hegemonia da política brasileira, incluindo os célebres coronéis do Nordeste.

Nomes aos bois

Em artigo na Folha, Floriano Marques Neto e Sebastião Tojal criticaram a presença do Tribunal de Contas da União em acordos de leniência de empreiteiras que roubaram a Petrobras. Assinaram como “professores”, e omitiram que são advogados da OAS e da Andrade Gutierrez.

Bruno Carpes Bruno Carpes / Divulgação/MPRS

O Brasil prende pouco

Dado citado pelo promotor de Justiça gaúcho Bruno Carpes desmonta a surrada alegação de “prendemos muito e prendemos mal”: o Brasil é apenas o 59º lugar o número de presos por 100.000 habitantes.

Que vergonha, senhores

Deveria envergonhar os defensores do chamado “direito penal mínimo”, que pregam o esvaziamento das prisões, o fato de o Brasil sozinho responder por 12,5% de todos os homicídios do planeta.

Outros tempos

Há 33 anos, o PT expulsava deputados que participaram em 1985 do Colégio Eleitoral que elegeu Tancredo. Hoje, petistas condenados por corrupção não são expulsos: viram heróis da quadri…, ops, do partido.

Demora por quê?

Dos 75 projetos de concessão previstos pelo governo para este ano, na área de infraestrutura, 11 estão sob análise do Tribunal de Contas da União. Somados, preveem investimentos de R$132,7 bilhões.

Caixa privatizada

O processo de privatização das loterias da Caixa Econômica Federal está atualmente na “fase de estudos”. Isso quer dizer: está parado, esperando que seja esquecido nas gavetas da Esplanada.

Pensando bem…

…são tantos cargos ocupados por indicação política que o slogan poderia ter mudado para “Vem afanar a Caixa você também”.

Coluna Claudio Humberto 22 de janeiro de 2018