Eles também querem falar sobre aquilo....

Por Ivana Moreira

De onde vêm os bebês? Por que meu coração dispara quando vejo duas pessoas se beijando? O que é sexo? Se essas perguntas ainda não surgiram na sua casa, é melhor se preparar para respondê-las mais cedo ou mais tarde. Com pequenas variações, a curiosidade é unânime entre a criançada.

Segundo a sexóloga Cida Lopes – autora do livro “Soltando os Grilos” –, é importante que as dúvidas sejam esclarecidas o quanto antes. “É fundamental manter um diálogo aberto em casa, pois falando ou não sobre o assunto o seu filho vai construir os conceitos dele”, diz ela. “Pode ser que esses conceitos fiquem distorcidos se não houver uma orientação adequada. É melhor começar a falar sobre isso 5 anos antes do que 5 minutos depois.”

5 dicas para falar sobre sexto com as crianças

1) LIBERTE-SE DE SEUS PRÓPRIOS PRECONCEITOS.
A sociedade foi ensinada a tratar o sexo como um assunto indecente e a deixar as crianças de fora da pauta. Mas é importante lembrar que todo ser humano é dotado de sexualidade, desde o dia de seu nascimento e por toda a vida.

2) DEVOLVA A PERGUNTA.
Se o seu filho está com uma dúvida, ela já ouviu, conversou ou sentiu alguma coisa sobre isso antes. Devolva a pergunta e questione o que ele sabe e com quem já conversou sobre o assunto.

3) NÃO REPRIMA.
A criança está curiosa sobre um assunto e confiou em você para esclarecê-lo. Encare como um presente e uma prova de que você é alguém de referência, alguém de confiança para ela.

4) TRATE COM NATURALIDADE.
Eles têm curiosidade, como têm sobre tudo que está ao seu redor. Introduza esse assunto em conversas descontraídas do dia-a-dia, para a criança perceber que o tema faz parte da rotina, não é mais e nem menos importante que outros assuntos.

5) NÃO MINTA.
Mesmo que o seu filho esteja te fazendo uma pergunta, é possível que ele já saiba a resposta. E se não souber hoje, um dia descobrirá. Mentir não ajuda a construir um laço de confiança. “Os pais precisam se mostrar confiáveis e acessíveis durante a infância se quiserem ter uma relação de amizade com os filhos na adolescência”, aconselha a sexóloga.

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo