Depois da tempestade

A economia está finalmente emergindo de uma recessão severa e prolongada. Ainda assim, a recuperação deve ser fraca e lenta. A confiança dos consumidores e das empresas está aumentando e as exportações agrícolas começaram o ano em uma base sólida. No entanto, o desemprego deverá diminuir apenas no final deste ano, e depois cair apenas gradualmente. A inflação diminuiu significativamente, em parte devido à menor demanda, e prevê fechar o ano abaixo da meta de inflação de 4,5%. A desigualdade permanece elevada.

A inflação mais baixa permitirá uma flexibilização monetária mais avançada do que a antecipada anteriormente, o que deve apoiar uma maior recuperação do investimento. A política fiscal deverá seguir o caminho do equilíbrio da sustentabilidade fiscal mirando o médio prazo. Mesmo contra a pressão da busca da recuperação imediata, que ainda é frágil.

A reforma da Previdência é crucial para garantir a sustentabilidade das finanças públicas e o cumprimento da regra das despesas recentemente aprovada.
Um sistema de Previdência sustentável é parte de um pacote para tornar o crescimento mais inclusivo, juntamente com uma reorientação das despesas sociais para instrumentos mais efetivos, como transferências monetárias condicionadas. As fragilidade do mercado de trabalho e a incerteza jurídica foram reduzidas pela reforma trabalhista, ainda que com algumas imperfeições. À luz das recentes revelações de corrupção, são necessárias medidas mais efetivas para combater os mau-feitos e melhorar a governança.

A economia continua bastante fechada, o que dificulta a concorrência e limita o acesso a insumos importados. A recente flexibilização das regras de conteúdo local é bem-vinda, mas as barreiras comerciais continuam altas. As reformas das políticas internas para aumentar a competitividade, incluindo uma grande reforma tributária, encargos administrativos mais baixos e maior investimento em infraestrutura, impulsionarão o crescimento e facilitarão o ajuste para uma economia mais aberta. O fortalecimento da formação profissional pode ajudar os trabalhadores deslocados a encontrar novos empregos, pois alguns empregos ceifados foram substituídos por automatização e/ou revisão de processos.

As bases para crescimento são baseadas em pilares essenciais em qualquer país, a saber; a) relações de trabalho justas e profícuas, b) previdência social inclusiva e equânime, sejam eles profissionais públicos ou privados e c) uma reforma tributária que permita clareza na aplicação, eficiência na arrecadação e responsabilidade na aplicação dos recursos públicos.