Trabalhabilidade

Você conhece essa palavra? Já tinha ouvido falar dela? São muitas as mudanças que estamos vendo e sentindo no mundo do trabalho nesta era digital, na qual presenciamos um bombardeamento de informações diariamente via internet.

A trabalhabilidade vem tratar da extinção dos empregos, dos cargos. A era da empregabilidade, quando tínhamos uma grande oferta de emprego e seu currículo era avaliado pelas conquistas e o grau de estudo, tem se modificado. Aqueles que mais estudam são os que mais têm oportunidades de estarem empregados, mas não necessariamente de terem oportunidade de trabalho. A diferença entre essas duas palavras já vem sendo abordada na coluna há algum tempo.

Ter um emprego significa receber um salário, desenvolver uma atividade que necessita do ir e vir, com tarefas a serem cumpridas, metas definidas pelo gestor, direitos e deveres. No entanto, ter um trabalho é diferente:  implica a definição de um propósito, você construir. Você se direciona, cria suas metas e coloca sua energia na conquista. São formas diferentes de se relacionar. Patrão e empregado tornam-se mais conectados, tornam-se parceiros. No mundo em que ainda vivemos, isso até pode parecer utopia, mas tenha certeza de que esse é o caminho que os países de primeiro mundo já trilharam, e nós vamos também nos direcionar a ele.

Os empregos estão acabando, mas ainda existe muito trabalho. Cabe a cada um descobrir outras ocupações que possam gerar renda. É preciso buscar novas formas de agregar valor a suas competências e habilidades. A área de serviços é a que mais se transforma rapidamente. As conexões colaborativas, associativas, como o Uber, os escritórios de co-working, Airbnb e outras,  todos trabalhos com colaboração em prol de melhoria para que oferece e quem recebe, melhor preço, maior comodidade. Tantos empregos ou empresas acabaram exatamente por não perceberem as mudanças e não ajustarem suas formas de pensar e atuar no trabalho.

É fundamental fazer essa análise de como você está e   também de como está a empresa em que trabalha. Que novas conexões estão se fazendo? É importante que você busque novas alternativas de ocupações para a geração de renda,  de forma que beneficie não só quem presta o serviço, mas também quem o recebe.

Não fique fora dessa onda. Antecipe, crie sua conexão e descubra o prazer do trabalho!