Que tipo de pai (ou mãe) você é?

Talvez você não se dê conta, mas seu estilo de exercer a maternidade ou a paternidade é a principal explicação para determinados comportamentos do seu filho. O que você é como pai ou mãe hoje desperta determinadas emoções na criança e influencia o tipo de adulto que ela será amanhã. É o que garante a psicóloga Patrícia Nolêto.

São nos primeiros anos de vida que se desenvolvem o otimismo e o pessimismo. Segundo Patrícia, um pai que olha para si mesmo e para o mundo com lentes distorcidas (ou disfuncionais, como define a psicologia) tende a transmitir as mesmas crenças para os filhos.

Espelho, espelho meu. Existem cinco categorias de estilo de pais. Confira abaixo em qual delas você se encaixa e veja que tipo de comportamento vai provocar no seu filho.

Pais autoritários: provocam medo e raiva nos filhos. Essas crianças costumam obedecer por medo e geralmente se tornam adultos inseguros, dependentes e não assertivos.

Pais vitimizadores: que se colocam sempre no lugar de vítimas, fazem com que os filhos sintam tristeza e vergonha. São crianças que obedecem por culpa. Geralmente se transformam em adultos queixosos, que têm medo de não agradar e de dizer não.

Pais submissos: estimulam a raiva dos filhos. Eles tendem a enfrentar os pais, resistem a obedecer. E costumam se tornar adultos egoístas, com baixa tolerância à frustração.

Pais dominantes: geram duas emoções nas crianças: tristeza e ansiedade. Os filhos obedecem sem questionar, mas tendem a se tornarem adultos imaturos, medrosos e dependentes.

Pais apoiadores: são aqueles que conseguem estimular duas emoções muito positivas: amor e alegria. Crianças que convivem com esse tipo de pai costumam ser cooperativas e se tornam adultos autônomos e seguros.