O 'sim' pode ensinar mais que o 'não'

O 'sim' pode ensinar mais que o 'não'

Poucas propostas de educação têm despertado tanto o interesse das mães quanto a disciplina positiva. Baseada nos livros da terapeuta norte-americana Jane Nelsen, a metodologia baseia-se no  conceito de que disciplina pode ser ensinada  com firmeza e gentileza  – sem punição, castigo ou recompensa. “Várias crianças que são punidas se tornam rebeldes ou complacentes”, diz Jane. “A disciplina positiva ensina ferramentas que são mais eficazes nos curto e longo prazos. Quando os pais e professores aprendem isso, eles ficam felizes em deixar as punições de lado.”

Segundo a especialista, todas as pessoas, inclusive as crianças, querem ser tratadas com dignidade e respeito. Bem como aprender as habilidades que as ajudarão a ser bem-sucedidas na vida. Jane Nelsen já certificou mais de 130 treinadores que hoje aplicam a disciplina positiva em 24 países, incluindo o Brasil.

Cinco ferramentas da disciplina positiva

Confira algumas dicas da autora da metodologia que vem ganhando adeptos ao redor do mundo.

#1. Envolver as crianças na criação dos limites. Elas são mais dispostas a respeitar limites que elas ajudaram a criar. É bom definir em conjunto as regras de momentos como ver TV, a hora de brincar e de dormir.

#2. Praticar a crença de que erros são boas oportunidades para aprender. Para uma criança agir melhor, não precisamos fazê-la se sentir pior. Nas reuniões familiares ou durante o jantar, vale contar um erro cometido no dia e o que aprenderam com ele.

#3. Promover reuniões semanais com a família. Esse tipo de encontro regular, para falar sobre coisas boas e ruins acontecidas na casa nos últimos dias, cria proximidade entre pais e filhos. Após a conversa, é legal fazer uma brincadeira para descontrair e deixar memórias felizes.

#4. Dar um tempo positivo.  Sair de cena na hora do conflito, ajuda a tranquilizar-se e recompor-se para conversar depois sobre o ocorrido. Vale para adultos e crianças.

#5. Focar nas soluções. Em vez de ensinar o que não fazer, convide seus filhos a refletir sobre a situação e buscar uma solução. Ao pegar uma esponja e uma toalha para limpar o leite derramado na mesa, a criança vai perceber que é capaz de resolver aquele problema.