Bodas de prata

Por fabiosaraiva

lizemara-prates-colunistaÉ um frenesi crescente. A contagem regressiva se inicia bem antes e vai se acelerando, em especial nesta semana. A semana em que efetivamente a Expointer começa a ganhar vida. E é assim há 25 anos. Completar Bodas de Prata na cobertura da maior feira do agronegócio da América Latina confirma que o casamento da guria do interior com o jornalismo rural deu certo. Muito certo. Vibro com minha escolha a cada dia. Em alguns momentos, um tanto mais. Agora é um deles. Há expectativa de novidades que com certeza vão me surpreender ao longo dos nove dias em que me transfiro para o Parque Assis Brasil, em Esteio. Lugar em que reencontro amigos e conheço novos abnegados pela lida no campo. Sempre que vou ao interior me reenergizo no contato com homens e mulheres que garantem alimentos em nossas mesas. Vê-los em Esteio, concentrados na feira, desfilando a indumentária típica do nosso campo, é revitalizante.

O mesmo sentimento tenho quando vejo o crescimento da Expointer. A feira que começou com a pecuária, ganhou parceiros: máquinas agrícolas, artesanato e agroindústrias. E eventos agregados. Nesta sexta-feira, a Federação das Associações de Arrozeiros do RS faz o lançamento oficial do plantio da safra 2014-2015. É a primeira vez que o ato simbólico acontece no parque em Esteio, que foi sede de uma antiga lavoura de arroz. A decisão dos organizadores foi tomada exatamente para aproveitar a importância da Expointer, a presença dos produtores em Esteio, e o momento mais favorável, antes do envolvimento efetivo na semeadura. Os arrozeiros se agregaram à feira mais recentemente. Levaram para o palco da pecuária, o grão altamente produzido na várzea gaúcha. Fazem discussões técnicas e políticas e degustação de diferentes pratos à base de arroz em que os chefs exercitam a criatividade. Posso inclusive dar uma modesta contribuição: risoto de frutas vermelhas com amora, framboesa, morango, aceto balsâmico e gorgonzola. Uma deliciosa combinação.  Tenho consciência, claro, que a paella campeira terá maior espaço, junto com bolinho de arroz e arroz de leite. Mas, quem circular pelos 141 hectares do parque com certeza encontrará outras atrações além da gastronomia. Em ano eleitoral, candidatos à presidência da República, governo do Estado, Câmara Federal e Estadual disputarão o voto dos visitantes. E o voto do agronegócio tem um peso e tanto porque o setor faz a diferença na economia brasileira e gaúcha.

Vamos celebrar a festa dos gaúchos, que une campo e cidade, de 30 de agosto a sete de setembro.

Lizemara Prates é jornalista do Grupo Bandeirantes de Comunicação. Apresenta o AgroBand, na TV Band, e tem comentários diários sobre agronegócio na Rádio Bandeirantes e na BandNews FM. Escreve no Metro Jornal de Porto Alegre

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo