O homem é o tigre do homem

Por fabiosaraiva

diego-casagrandeAmanhã o Conselho Estadual de Educação do RS, um órgão apinhado de neocomunistas, poderá dar um passo histórico: proibir que escolas públicas e privadas possam suspender e até expulsar aqueles alunos transgressores das regras. Se a norma for aprovada, teremos um novo tipo de ditadura, a do aluno delinquente. Ele agora poderá fazer e acontecer, com seus direitos devidamente assegurados. Quer xingar e bater na professora? Vai que não dá nada. Quer botar bomba na sala do diretor? Maravilha. O Conselho Estadual de Educação garante sua permanência. Incrível, não?! Parece o fim dos tempos. E é o fim dos tempos.

A destruição lenta, gradativa e inexorável das instituições está em pleno curso. A ética, os valores morais, a decência, está tudo se esvaindo, como o santo que quebra os pés de barro no andar turbulento da carruagem. Mas alguém há de considerar que a proposta possa, diante da gritaria geral da população pensante e comprometida deste estado, ser rejeitada. Não importa. Só o fato de algo tão nefasto ser levado a sério já é uma derrota. Ainda mais por um conselho de pessoas teoricamente preocupadas com o futuro dos nossos filhos, da educação, etc. A sociedade já está batida, nocauteada. Perdemos todos.

Semana passada um garoto de 11 anos teve o braço arrancado por um tigre no zoológico de Cascavel, no Paraná. Apesar de todas as placas de avisos do grande perigo de se aproximar da jaula e de estar em área absolutamente proibida, o pai afirmou em entrevista achar “que estava tudo sob controle”. Aos prantos, ele disse que viu quando o filho botou a mão no tigre e atribuiu à “teimosia” o fato de o menino ter sido chamado e não querer sair.

Estes fatos demonstram, apesar de toda a dor emocional deste pai agora, que é ele o maior responsável pela tragédia que se abateu sobre a família. Ninguém nasce sabendo. No processo civilizatório, a repressão deve estar presente quando necessário. Com equilíbrio e bom senso, a palavra mais valiosa que existe para conter os ímpetos de crianças e adolescentes é um “não”, tanto quanto um “sim”. O resto é conversa de boteco.

Recentemente, a lei algemou as famílias brasileiras. Uma palmada educativa pode gerar processos. Agora, querem algemar as escolas. Bem-vindos ao Estado de Natureza Tupiniquim, algo parecido com o de Thomas Hobbes, mas estrelado por Macunaíma. Em breve arrancarão nossos braços. O homem tornou-se o tigre do homem.

Diego Casagrande é jornalista profissional diplomado desde 1993. Apresenta os programas BandNews Porto Alegre 1a Edição, às 9h, e Ciranda da Cidade, na Band AM 640, às 14h. Escreve no Metro Jornal de Porto Alegre

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo