Vou para Pernambuco

Por fabiosaraiva

lizemara-pratesO que me atrai para o Estado nordestino é a 17ª edição da Corrida da Galinha. O evento em São Bento do Uma, cidade com 54 mil habitantes, a 206 km do Recife, no agreste pernambucano, foi inspirado na fama do município como um dos principais produtores de ovos e frangos do Nordeste. A avicultura industrial é um importante segmento no agronegócio daquele Estado, justificando a programação de uma semana. O tema deste ano é emblemático: “Depois da Copa tem a canja da galinha”. Para mim, a canja é bem-vinda em qualquer momento, principalmente nas noites frias do nosso inverno.

O ponto alto da festa é a competição de galos e galinhas que reproduz uma corrida de Fórmula 1 com pista em circuito fechado. O Galinhódromo tem 88 metros de extensão sendo protegido por uma tela. Fica instalado em local amplo para dar mais espaço e segurança aos pilotos e suas máquinas “voadoras”. A estrutura ainda conta com o espaço “Pinto Stop”; o Poleiro que é uma arquibancada com capacidade para 2 mil espectadores e a Torre de Comando onde é feita a transmissão por um narrador acompanhado de comentaristas. Há premiação para os três primeiros lugares e placa na calçada da fama. Outras competições fazem parte da programação como o Ovo ao Alvo, Segura nos Trinta, Coma seu Frango, Engula o Ovo, Canto do Galo, Cocoricó da Galinha e Penas, Plumas e Paetês.

A programação me transporta para a Expointer e nossas feiras agropecuárias no interior do Estado. Aqui, as competições são diferentes, envolvem bovinos, equinos, ovinos, e espécies menores como aves, pássaros e coelhos. Também temos pistas de julgamento dos animais com espaço para o público acompanhar as apresentações. Muitos jurados são do exterior. E ficam horas analisando os animais, num passeio nem sempre bem entendido pelos visitantes, no entorno de cada exemplar. A premiação é igualmente entregue aos proprietários dos animais em momento de celebração. E os vencedores saem valorizados. Os grandes campeões de cada raça obtêm preços superiores no momento da venda.

Estamos a exatamente um mês do início da Expointer 2014. Enquanto aqui em Esteio, na região metropolitana de Porto Alegre, o trabalho é na manutenção das estruturas e limpeza do parque Assis Brasil, nas propriedades no interior do Rio Grande do Sul e de outros Estados, os cuidados são dedicados às estrelas da festa, os animais que atraem a atenção dos visitantes.

Tudo é proporcional à realidade de cada região. Mesmo parecendo folclóricas, são competições interessantes, respeitando as regras do bem estar animal, sempre atraem público e reforçam a importância da agropecuária.

Lizemara Prates é jornalista do Grupo Bandeirantes de Comunicação. Apresenta o AgroBand, na TV Band, e tem comentários diários sobre agronegócio na Rádio Bandeirantes e na BandNews FM. Escreve no Metro Jornal de Porto Alegre

Loading...
Revisa el siguiente artículo