Volta a volta até Barber!

Por Caio Cuccino Teixeira

helio-castronevesOi pessoal, tudo bom? Olha, antes que vocês comecem a pensar que eu estou maluco, já aviso que a coluna está diferente das demais. É que estou aqui no aeroporto de Fort Lauderdale e começando escrever agora (domingo, 16 de março). Farei um esforço danado para terminar na segunda, 17, em pleno primeiro dia do Verizon IndyCar Series Open Test at Barber Motorsports Park, no Alabama. Se eu terminasse de escrever hoje, não conseguiria contar nada dos testes. Mas como acho que é legal, vou fazer uma coluna “quente”, como dizem os jornalistas. Bom, agora eu vou embarcar, até lá!

(Domingo, 16, 13h20)
Já no avião. Estou embarcando em Fort Lauderdale e o voo vai até Atlanta. São aproximadamente duas horas de voo. Enquanto vocês estão terminando o delicioso almoço de domingo, vou aproveitar para dizer o que é o Open Test. É aquele treino coletivo, promovido pela IndyCar, que é o último teste que a gente tem antes da abertura do campeonato, que será no dia 30 em St. Pete, Flórida. É uma ocasião para reunir a imprensa, revelar as últimas novidades da nova temporada e medir o desempenho. Completamos mais uma “volta” da coluna de hoje. Já já eu volto.

(Domingo, 16, 16h15).
Já estou aqui em Leeds, no Alabama, pertinho do Barber Motorsports Park, local do Open Test. Desci em Atlanta, na Geórgia. De lá peguei o carro (Chevrolet, evidentemente!) e vim dirigindo até aqui. Coisa rápida, pouco mais de 200km. Do hotel até a pista a gente leva uns 15 minutos, então, é pertinho. Quero dizer que aqui está frio pra caramba. Como o inverno está terminando, pelo menos não tem neve. Além disso, vale muito a pena treinar aqui porque é o local da terceira etapa do campeonato, no dia 27 de abril. Acho que metade da coluna está escrita. Amanhã eu continuo. Valeu!

(Domingo, 16, 21h50)
Bom dia! Hoje é segunda-feira e eu já estou aqui na pista. E tá frio, viu! Agora está marcando aqui 41oF, o que em centígrados dá uns cinco graus. Obviamente que não é uma circunstância boa porque, com o frio, os pneus demoram a aquecer e a gente perde o parâmetro porque na época da corrida está quente. Mas vamos trabalhar!

(Segunda-feira, 17, 8h)
Oi pessoal. Estou escrevendo rapidinho porque estou atrasado para mandar a coluna. Só gostaria de dizer que o dia de hoje foi muito proveitoso, rodei ao todo 51 voltas e consegui o tempo de 1min07s7214, a terceira melhor marca do dia e distante apenas 0s0722 do Will Power, que foi o mais rápido. O Juan Pablo Montoya terminou em 2º e isso mostra que o Team Penske está muito competitivo. Só para terminar, estou perto dos 100 mil seguidores no Twitter. Se você não me segue, basta clicar no @h3lio para fazer parte dessa galera.

Espero que tenham gostado dessa coluna totalmente diferente. Ótima terça-feira e vamos que vamos!

Helio Castroneves, 38, nasceu em São Paulo e foi criado em Ribeirão Preto. É o piloto brasileiro com mais vitórias na Indy, com 28 conquistas, e venceu três edições da Indy 500 (2001, 2002 e 2009). Disputará em 2014 sua 17ª temporada na categoria e 15ª pelo Team Penske.

Loading...
Revisa el siguiente artículo