Chegou a hora de prestigiar a polícia

Por fabiosaraiva

diego-casagrandeTenho insistido que o Brasil é um dos países mais violentos do mundo. É uma questão de estatística. Mais que o Iraque. Mais que o Afeganistão. Nem a Síria, em guerra civil há três anos, é tão violenta. Lá, em três anos morreram 100 mil pessoas em uma guerra onde há bombardeios e até uso de armas químicas. Em nosso país, morreram 150 mil assassinados no mesmo período. Um horror. E infelizmente, com campanhas sistemáticas, sobretudo das esquerdas, contra a ação das polícias e pelo relaxamento das leis penais nas últimas décadas, estamos colhendo o resultado.

Hoje, de certa forma, os bandidos mandam nas nossas vidas. São eles que influenciam diretamente onde moramos, a que horas vamos para o trabalho, a hora em que voltamos, onde podemos pegar ônibus, onde estacionamos o carro, em quais lugares vamos nos divertir e todo o resto. Sem nos darmos conta, são os bandidos que fazem nossas regras de vida e convivência. Vivemos a ditadura da bandidagem.

Como não canso de dizer, há governos incompetentes em fazer segurança pública, e há governos lenientes com a criminalidade por razões ideológicas. O governo do RS está inserido no segundo caso. Como direcionar as polícias a enfrentar severamente criminosos se quem as comanda acredita que eles são fruto da desigual sociedade capitalista? Se acredita que o capitalismo e o livre mercado são verdadeiramente os responsáveis pela existência de tantos bandidos?

Este é o ponto, que infelizmente também orienta decisões de juízes pagos por nós. Uma visão torta que condena cidadãos pagadores de uma das maiores cargas de impostos do planeta a se tornarem reféns da bandidagem. Ricos, pobres ou remediados, estamos à mercê. Cruzar com bandidos e voltar com vida para casa é questão de sorte – ou azar.

Nas últimas semanas cidadãos honestos novamente tombaram nas mãos da delinquência. Mas noto – e isso é uma boa notícia – que delinquentes perigosos também tombaram em confronto com a polícia aqui no RS. Pode ser só impressão minha, mas parece que o governo afrouxou um pouco o cinto dos nossos policiais para que eles possam trabalhar.

Há alguns bandidos morrendo em confronto. É o ano eleitoral. Não tem cabimento um criminoso ou quadrilha disparar suas armas contra as autoridades e desejar voltar com vida para casa. A hora é de prestigiar a polícia, que dentro das regras legais estabelecidas, esta aí para nos proteger.

Diego Casagrande é jornalista profissional diplomado desde 1993. Apresenta os programas BandNews Porto Alegre 1a Edição, às 9h, e Ciranda da Cidade, na Band AM 640, às 14h. Escreve no Metro Jornal de Porto Alegre

Loading...
Revisa el siguiente artículo