A praga totalitária

Por fabiosaraiva

diego-casagrandeSe o socialismo real do século passado foi o lixo que a humanidade conheceu, responsável por mais de 80 milhões de mortos, o socialismo contemporâneo, personificado no bolivarianismo chavista, demonstrou no início um caminho diferente para chegar ao mesmo fim.

Uma diferença é que seus novos ideólogos entenderam que era preciso mudar em prática – para chegar lá – e em aparência – nos primeiros anos de governo. Primeiro, conquistaram corações e mentes disputando legitimamente eleições. E depois, uma vez eleitos, partiram gradativamente para o golpe tomando de assalto as instituições pilares de sustentação da liberdade e da democracia.

É o que acontece na Venezuela hoje. Usaram o benefício da liberdade para estabelecer um regime que matou a democracia. E o país virou uma ditadura.

Por mais que os analistas de esquerda insistam em negar e relativizem a triste constatação, como li este fim de semana em um jornal, não há como fugir dela. A Venezuela já era. Nem a falsa roupagem de liberdade se sustenta mais. O país tem os mesmos mecanismos de uma democracia liberal clássica, mas é só para inglês ver. Toda e qualquer disputa, todo e qualquer julgamento hoje em dia é viciado na origem. Quando no ano passado Tibisay Lucena, presidente do Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela, apresentou-se na eleição com bracelete chavista – tal qual os nazistas faziam – vi ali que a vaca tinha ido para o brejo e que as instituições democráticas estavam absolutamente dilaceradas pela praga totalitária.

Se um dia houver volta, o país que na época das ditaduras militares foi considerado uma sólida democracia na América Latina vai chorar lágrimas de sangue para se aprumar.

Enquanto os muito ricos se aliaram ao governo para faturar mais ou foram gerenciar seus negócios de Miami, setores expressivos da sociedade venezuelana são esmagados. Tentativas de libertação foram esboçadas com protestos de centenas de milhares nas ruas. Acabaram criminalizados e escorraçados pelo chavismo.

Agora, nesta nova etapa de violência institucional, o governo manda prender opositores, e as milícias chavistas atiram para matar nas ruas.

O socialismo real, esta praga que insiste em violentar o direito natural à liberdade do homem, instalou-se aqui ao lado. Se não abrirmos os olhos, chegará a nossa vez.

Diego Casagrande é jornalista profissional diplomado desde 1993. Apresenta os programas BandNews Porto Alegre 1a Edição, às 9h, e Ciranda da Cidade, na Band AM 640, às 14h. Escreve no Metro Jornal de Porto Alegre


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo