Redes sociais em ano de eleições

Por fabiosaraiva

Há poucos meses da tão comentada Copa do Mundo, um outro evento – que também acontece a cada quatro anos – não tem sido tratado com a importância devida, mesmo na situação calamitosa em que o país se encontra.

Tudo bem que Neymar, Lionel e Cristiano são mais atraentes que Dilma, Aécio e Eduardo. Mas, se para ajudar a seleção só nos cabe torcer, para ajudar o país temos a chance de entrar em campo e mudar o jogo.

E isso não vale só na hora da urna. Podemos (e devemos), desde já, ajudar a construir um futuro melhor, através da conscientização própria e alheia. As redes sociais estão aí para isso, ou você acha que usa bem o seu Facebook postando ‘selfies’, pratos e pernas ao sol?

Os candidatos também deveriam usar melhor suas páginas, produzindo não somente o que desejam que seja consumido, mas sim o que a população realmente quer saber, temas relevantes que criem o engajamento da sociedade em vez da guerrilha paralela de seus militantes virtuais.

É hora de compartilhar nosso conhecimento na internet, na cozinha, na portaria. O que você sabe de negativo ou positivo da situação ou oposição pode mudar um voto. O voto que trará a verdadeira vitória ao país, seja ele penta ou hexa.

Afinal, nossa pátria é aqui, e não Miami.

O FINO DA SEMANA

Domingo, dia 16, tem ensaio pré-carnaval do bloco de rua Acadêmicos do Baixo Augusta, no Cine Joia.

E o grande momento, dia 23, traz Alessandra Negrini no posto de rainha da bateria e Simoninha como puxador oficial do samba.

 

Fabio Brancatelli é empresário, publisher do Bicofino e consultor de marketing com 20 anos de mercado em grandes agências e empresas.

 

Captura de Tela 2014-02-11 às 19.35.52

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo