Efeitos do implacável calor

Por fabiosaraiva

lizemara-pratesO assunto dominante entre os gaúchos tem sido a onda de calor. As pessoas trocam informações sobre alternativas para enfrentar as altas temperaturas. Plantas e animais não têm esta opção. Os animais procuram refúgios em matos e aguadas no meio dos campos e as plantas sugam o que podem do solo, na tentativa de continuar crescendo. Nesta época do ano, os plantios são de culturas de verão, apropriadas para o clima quente. Mas, há algumas que não toleram temperatura acima dos 30ºC. É o caso da maçã, cultivada nos Campos de Cima da Serra. Vacaria é o maior produtor da fruta no país. Os produtores estão surpresos com os termômetros marcando valores impensados para a região. O estresse calórico está afetando a coloração das frutas e queimando algumas que são destinadas para suco. A colheita está atrasada em relação ao ano passado. Deve acelerar na próxima semana.

Especialistas garantem que o sabor depende do ponto de colheita: se estiver mais madura, será mais doce, atendendo ao paladar dos brasileiros. Os europeus preferem frutas mais ácidas. O maior problema para as macieiras é o granizo que exige altos investimentos na proteção do pomar. Para a uva, o calor igualmente adoça a fruta, mas em excesso acelera o amadurecimento e exige manejo intensivo para controlar ocorrência de doenças. O mesmo acontece com o figo que precisa ser colhido rápido e logo levado para as indústrias destinado à fabricação da geleia.

O efeito da onda de calor sobre a produção de hortigranjeiros aparece na Ceasa de Porto Alegre. Na última semana, a oferta de morango e agrião caiu em 30%. Com menor volume, o preço se elevou em 43% para a fruta e 50% na verdura. O calor não atinge apenas a quantidade, mas também a qualidade dos produtos. No caso das hortaliças, deixa as folhas amargas e duras. A alface, por exemplo, fica com as folhas mais grossas, com aspecto plastificado, num mecanismo de defesa da planta. Segundo os especialistas, as temperaturas mais altas estimulam a produção de látex nas folhas. Outra hortaliça que sofre com o calor é o tomate, igualmente de clima temperado, absorve menos cálcio facilitando o aparecimento de lesões no fruto. A oscilação de temperatura também pode facilitar o surgimento de rachaduras. No caso da pecuária, o intenso calor afeta o metabolismo do animal. O gado tem dificuldade de liberar calor e acaba aumentando sua temperatura corporal e frequência respiratória e diminui o consumo alimentar, reduzindo a produtividade de leite e carne.

Portanto, se sua salada não estiver tão boa, a culpa é do calor, mas não deixe de inclui-la na refeição.

Lizemara Prates é jornalista do Grupo Bandeirantes de Comunicação. Apresenta o AgroBand, na TV Band, e tem comentários diários sobre agronegócio na Rádio Bandeirantes e na BandNews FM. Escreve no Metro Jornal de Porto Alegre


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo