Arroz doce caribenho

Por fabiosaraiva

lizemara-pratesEstive em férias na República Dominicana, país da América Central, no mar do Caribe, com pouco mais de nove milhões de habitantes, que tem no turismo a principal fonte econômica. Mas também há agricultura no segundo país da região caribenha. Produzem cana-de-açúcar, café, cacau, fumo, frutas e vegetais. Também plantam arroz. Fui surpreendida pelo arroz doce com sabor diferenciado. A sobremesa pode vir combinada com coco ou abacaxi, frutas típicas da região. Eles dizem que o prato é local. Claro que não concordei. Para mim, é uma sobremesa típica do Rio Grande do Sul. Discussões à parte, vi com bons olhos a combinação com frutas. Lembrei do arroz com passas de pêssego típico nas regiões da fronteira e campanha. Passei a infância e adolescência saboreando esta sobremesa na Semana Santa. Conversando com chefs dominicanos fiquei sabendo que há ainda a variação do arroz sem tempero, apenas com leite, que é do agrado de alguns nativos.

Na pecuária, criam bovinos, suínos, ovinos e aves. Oferecem as carnes nos mais diversos pratos. A culinária diversificada é uma peculiaridade dos resorts “all inclusive” que tanto agradam hóspedes de todos os cantos do mundo. Outra atração, para alguns a mais importante, são as bebidas, com destaque para drinks à base de rum. Na carta de vinhos dos restaurantes internacionais, instalados dentro dos gigantescos complexos hoteleiros, não encontrei vinhos brasileiros. Da América do Sul, localizei rótulos chilenos e argentinos.

Outra surpresa da visita foi a grande presença de russos. Eles estão no topo da lista de visitantes que chegam nesta época do ano, prioritariamente do Hemisfério Norte, numa fuga em massa do frio. Lá, a temperatura média anual é de 28ºC, com uma brisa tropical permanente e a beleza das palmeiras e coqueiros. Apesar de toda essa exuberância e da boa mesa, confesso que retornei com saudades do nosso arroz com feijão. Foi a primeira refeição que fiz no retorno. E de sobremesa comi arroz doce com canela em pó.

 

Pechincha

Se for às compras, esteja preparado para pechinchar exaustivamente. Os preços variam em euro, dólar e pesos dominicanos. De acordo com a nacionalidade do comprador é definido o valor que começa elevado e vai baixando à medida que o cliente ameaça desistir.  Se você estiver realmente interessado no produto, resista e chegue à exaustão na negociação. O valor é digitado em calculadoras e a contraproposta é feita no mesmo sistema. Cuidado com cédulas falsas se houver troco. O que há de mais diferente são joias em prata com a pedra larimar, típica do Caribe.

Lizemara Prates é jornalista do Grupo Bandeirantes de Comunicação. Apresenta o AgroBand, na TV Band, e tem comentários diários sobre agronegócio na Rádio Bandeirantes e na BandNews FM. Escreve no Metro Jornal de Porto Alegre

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo