Ciclorrotas ou 400 km de congestionamento?

Por Tercio Braga

cleber-andersonMesmo com muita gente de férias, para quem anda de carro, o trânsito em São Paulo está ruim. Neste ano, as aulas voltam mais cedo devido a Copa. Com elas, os congestionamentos monstros e imensuráveis. Se uma das mudanças pretendidas para 2014 é passar a utilizar a bicicleta como meio de transporte, é hora de testar essa alternativa. Do jeito que a coisa anda, ou melhor, não anda, poderá ser a única solução de locomoção em São Paulo. De bike, não há trânsito!

Ainda é muito lenta a adequação da cidade às bicicletas, mas aos poucos São Paulo vai chegando lá! Com muita briga as coisas vão acontecendo. Até a ciclovia da av. Eliseu de Almeida está finalmente sendo feita!!! É um marco ciclo-viário para a cidade, pois toda avenida que liga a periferia ao centro expandido e chega em uma das pontes das marginais, deve ter uma ciclovia. Caso contrário, os ciclistas estão se arriscando e até morrendo, como aconteceu mais uma vez anteontem, justamente na continuação da Eliseu.

Esperamos que ela saia por completo ligando o Taboão da Serra ao Butantã, passando pela av. Pirajussara, onde o frentista Maciel de Oliveira Santos, 42, faleceu. O ideal é que, além de chegar à estação Butantã do metrô, tenhamos uma ramificação para atravessarmos com segurança e fluidez as pontes da Cidade Universitária, a ponte Eusébio Matoso e ainda ter acessos seguros para as ciclovias da marginal Pinheiros e da Faria Lima.

Pedalando pelo centro expandido e por parte da zona leste, já existe hoje o mapa Ciclorrotas 2013 que traz os caminhos mais seguros pré-estudados e testados por ciclistas urbanos experientes. Este mapa pode ser adquirido gratuitamente em algumas lojas de bicicleta ou também baixado em pdf no link: www.cebrap.org.br/v2/files/upload/biblioteca_virtual/item_798/07_10_13_16mapa_ciclorrotas_2013.pdf.

Busque uma solução de caminho que evite avenidas e pedale pela viela mais linda e calma de cada bairro, mesmo que você tenha que fazer um caminho um pouco maior, sair um pouco mais cedo, escalar uma subida, mesmo que tenha inicialmente que empurrar sua bike. Com isso você aumenta significativamente sua segurança! Com o tempo seu condicionamento físico melhora. Você um dia subirá a tal da pirambeira pedalando com a ajuda das marchas mais reduzidas. Sua mente, seu corpo, o planeta e o seu bolso agradecerão muito!

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo