Natal

Por george.ferreira

jose-luiz-datenaHoje é um bom dia para desejar a você um grande Natal. Amigas e amigos, ainda me lembro do caminhão de madeira, da bicicleta vermelha – ah, o Forte Apache! – que sempre amanheciam no pé da árvore trazidos pelo meu Papai Noel, que, por acaso, se disfarçava de porteiro da Secretaria da Fazenda o ano inteiro: seu Vicente!

Minha mãe costurava bola e fazia bala de coco para reforçar a receita da casa. E que bala (eu ajudava)! Era uma casa humilde, vida difícil mas eu e minha irmã Célia nunca passamos fome. Aliás, ninguém me definiu melhor “passar fome” do que um velho garimpeiro de quase cem anos em Diamantina, na Bahia: “Moço, é uma coisa que dói no fundo da barriga, uma dor diferente”.

Pois é. E imagine quanta gente neste Natal sente esta dor por aí neste mundão de Deus. Gente que tem calo nas mãos de pegar pesado dia e noite para levar o sustento da família. Gente que faz de tudo para, no mínimo, levar um presentinho para filharada. Gente que só não tem um pouquinho a mais porque tem quem tem muito neste Brasil, onde a divisão de renda é desonesta e inaceitável. Que adianta ser a sexta maior economia do mundo se a maioria dos brasileiros passam por um aperto de dar dó.

Fora, é claro, a roubalheira. Me lembra um filme que passa todo ano nesta época na TV e que conta a história de um velho avarento, mau patrão, péssima pessoa e que é atormentado por fantasmas que mostram de verdade quem ele é e o mal que causa à sociedade em si. Por aí esta cheio dele, o senhor Scrooge. Político ladrão, bandidos de colarinho branco ou não. Gente que causa um mal danado e com certeza na mesa farta da sua noite de Natal, olhando seus filhos corados e mulher cheirosa, ainda sorri da própria esperteza e da desgraça alheia.

Juro que gostaria que todos os fantasmas do filme atormentassem este tipo de criatura criada nos confins da impunidade e nos porões do poder deste e de outros países. Mas enfim, é Natal e prefiro lembrar do meu pai e minha mãe que já não estão mais aqui, mas com certeza estarão comigo na hora da ceia. Prefiro lembrar de você que luta  a vida toda, honestamente, por um Brasil melhor. Você vale a pena. Feliz natal e um ano novo muito melhor. Fique com Deus.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo