Conta dos cartões: R$ 150 milhões na era Dilma

Por fabiosaraiva

claudio-humbertoA conta dos cartões corporativos já ultrapassou os R$ 150 milhões desde o início do governo Dilma, em 2011. O recorde ocorreu em 2012, quando foram torrados quase R$ 60 milhões. Para variar, a Presidência da República é quem mais gastou: mais de R$ 18 milhões em 3 anos. O contribuinte só pode conhecer o total da farra: o detalhamento virou “segredo de Estado” desde o escândalo da tapioca, no governo Lula.

Inteligência. A Agência Brasileira de Inteligência (sic), última a saber da espionagem americana, torrou R$ 7,2 milhões com cartões somente em 2013.

Quem paga a conta. Erros e omissões de burocratas do Ibram (DF) e Ibama, e a leviandade de gestores públicos, provocaram a poluição do lago Paranoá. Mas quem vai pagar conta, da despoluição (R$ 2 milhões) às multas (R$ 280 mil), além dos salários desses inúteis, é a vítima: o contribuinte.

Invasão chinesa. Associação da indústria têxtil (Abit) anuncia o fim de 598 mil empregos, após o Brasil importar US$5 bilhões em têxteis da China em 9 meses.

Estado de sítio. O Ministério Público do Rio ficou pianinho diante do “comprovante de residência” exigido de quem mora próximo do Hotel Windsor, durante o leilão de Libra, e evitou falar sobre a “tese” do direito (suspenso) de ir e vir, como num Estado de Sírio. O Exército negou ter feito isso. Mas fez.

Pensando bem… …ao contrário da “autossuficiência” em petróleo propalada por Lula, agora teremos autossuficiência de chineses na Petrobras.

Duas conversas. O ex-ministro José Dirceu criticou publicamente Eduardo Campos e Marina Silva, ontem, mas em particular faz elogios ao presidenciável do PSB, como em almoço no dia 20 de setembro, em Brasília, diante de uma dezena de pessoas. Ele só foi mais enfático nas críticas a Dilma.

Com Ana Paula Leitão e Teresa Barros 

www.claudiohumberto.com.br

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo