Está nascendo a primeira escola de empreendedorismo

Por Carolina Santos

bruno-caetanoIndependência, liberdade, poder de decisão, possibilidade de criar algo com seu perfil. No mundo profissional, para um número cada vez maior de pessoas, a concretização dessas aspirações está no empreendedorismo.

Atualmente, 44% dos brasileiros desejam ter o próprio negócio, enquanto 25% ambicionam seguir carreira como funcionários em empresas, segundo a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM). Se pensarmos apenas nos jovens, a tendência é a mesma: o principal sonho deles não é mais ter emprego com carteira assinada nem passar em concurso público, mas sim montar um empreendimento. O mesmo estudo mostra que 34% dos negócios em início de atividade são comandados por pessoas de 25 a 34 anos e 18% por quem tem entre 18 e 24 anos.

O jovem (de idade ou de empreendedorismo) que quiser ser bem sucedido precisa estar qualificado para enfrentar os desafios que lhe serão impostos. Ele vai ter de superar burocracia, crédito caro, mudanças no comportamento do consumidor, turbulências econômicas e concorrência acirrada. É inconcebível que ele coloque seu investimento – muitas vezes as economias de uma vida ou da família – em um negócio que será administrado na base de tentativa, erro, tentativa, acerto; com frequência este último nem é atingido.

O preparo para a batalha diária vem com informação e formação. Mesmo aqueles com experiência têm sempre algo a aprender. Leituras, palestras, cursos, tudo é válido para ampliar o conhecimento. Nesse contexto, ao longo dos anos cresceu a demanda do empresariado brasileiro por um ensino formal de assuntos ligados ao seu dia a dia. Para suprir essa lacuna, o Sebrae-SP, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo,  criou a Escola de Negócios. Iniciativa inédita, é a primeira escola de empreendedorismo gratuita do Brasil, onde os alunos poderão vivenciar situações reais comuns à rotina de qualquer empresa. Com sede na cidade de São Paulo, as inscrições para o processo seletivo já estão abertas e as aulas começam em janeiro.

Está plantada uma valiosa semente para o fortalecimento das micro e pequenas empresas. E quanto melhor elas estiverem, melhor para a economia e para a sociedade brasileira.

 

Bruno Caetano é diretor superintendente do Sebrae-SP e mestre e doutorando em Ciência Política pela Universidade de São Paulo. O Sebrae-SP é uma instituição dedicada a ajudar micro e pequenas empresas a se desenvolverem e se tornarem fortes. Saiba mais em www.sebraesp.com.br

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo