Macacos velhos?

Por talita

cleber-andersonNo domingo, o americano Chistopher Horner, 42, tornou-se o campeão da Vuelta a España batendo o atual campeão do Giro d’Italia, Vincenzo Nibali, 28. Horner tornou-se o ciclista profissional mais velho a vencer uma das grandes voltas ciclísticas (Itália, França e Espanha). O segredo? Bom humor e grande força mental.

Neste mês em Las Vegas, o brasileiro Joachim Doeding, jovem de 57 anos, apoiado pela Anderson Bicicletas, tornou-se tricampeão mundial de triathlon em sua categoria por idade na distância 1/2 Iron Man (natação 2km, ciclismo 90km e corrida 21km).

Como se não bastasse, uma semana depois do seu feito, ele competiu outra prova nos EUA, a Finish Strong, na qual venceu na geral, entre moleques de 20 e 30 anos. Consultor em logística, casado, pai de três filhos, o que impressiona em Joachim é o equilíbrio na vida, em ser bem-sucedido no trabalho, no esporte e ter bom convívio em família. Costuma dizer que o esporte deve entrar em nossa vida sem empurrar os outros prazeres para o lado (referindo-se aos que são obcecados) e que tudo demanda tempo e paciência (quando fala sobre as corridas que perdeu).

Meu irmão Celso, 43 anos, empresário (Bicicletas Orbea) consegue treinar de igual para igual com ciclistas de elite. Até quando o trabalho está pegando, não deixa de treinar e diz que pensa muito melhor em cima da bike. Como o Joachim, sobre os prazeres da vida, liguei para saber se treinaríamos hoje, mas ele ficou em casa com as filhas. A planilha pode esperar.

Assim, há quase 10 anos criei meu logotipo (acima) baseado em Leonardo da Vinci. Mostra o ciclista equilibrado para que o homem (de braços erguidos) vença. A felicidade de viver em paz é muito maior do que a de estar no lugar mais alto do pódio. Se existem as duas coisas, plenitude.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo