Câmara gasta fortuna em saúde para deputados

Por Tercio Braga

claudio-humbertoA Câmara dos Deputados gasta por ano R$ 2,7 milhões em convênios com os hospitais Sírio Libanês e Albert Einstein, de São Paulo, para atender deputados e ex-deputados, apesar de manter um completo e dispendioso Departamento Médico (Demed) – praticamente um hospital de primeira linha, com atendimentos ambulatorial e de emergência, dotado de laboratórios de análise e com capacidade de fazer cirurgias.

Casta. O contribuinte paga tratamento médico no Sírio Libanês e no Albert Einstein também para servidores efetivos da Câmara e dependentes.

Me errem. Diante da possibilidade de ser preso, o deputado mensaleiro Valdemar Costa Neto (PR-SP) sumiu. Não atende nem aos correligionários.

Na terra de don Corleone. A Polícia Federal será acionada para investigar a origem de e-mails ameaçadores a ministros do Supremo Tribunal Federal (e a familiares), como Luiz Fux, às vésperas das sessões sobre embargos infringentes. Celso de Mello, o fiel da balança, também seria uma das vítimas.

Fritura. O ex-jornalista Franklin Martins tenta “fritar” a ministra Helena Chagas (Comunicação), que chegou ao cargo com sua ajuda, mas cometeu o “erro” de ganhar brilho próprio. Ele jura a amigos que não quer o cargo.

Lobby nacionalista. Sindicatos de petroleiros procuraram senadores da ala “independente” pedindo um Decreto Legislativo suspendendo o leilão do campo petrolífero de Libra. Alegam que a Petrobras pode fazer o serviço: tem tecnologia, dinheiro e já descobriu 60 bilhões de barris no pré-sal.

Rumo a 2014. O PSD tenta convencer hoje (16) o empresário Josué Gomes, filho do falecido José Alencar, a ser vice de Fernando Pimentel (PT) em Minas.

Metralhadora. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, atira para todos os lados em busca de apoio para sua reeleição  em 2014. O tucano negocia a vice com o PMDB, o PSB, o até com o PRB de Celso Russomanno.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo