'Também sou negra', diz Day McCarthy a jornal após ofensas racistas

Por Metro Jornal
Reprodução/Instagram
'Também sou negra', diz Day McCarthy a jornal após ofensas racistas

Dayane Alcântara Couto de Andrade, ou Day McCarthy, falou pela primeira vez com um veículo brasileiro após ter dito ofensas racistas contra Titi, filha de Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank. Em entrevista ao jornal O Globo, ela, que se autointitula socialite e escritora, afirmou que se considera negra e também ser alvo de racismo.

Day, que diz morar no Canadá, contou porque acabou falando que garotinha, de 4 anos, era uma 'macaca'.

"Resolvi fazer aquele vídeo pois sofro com racismo na internet. Eu também sofria muito bullying na escola por ser pobre, por ser gorda, por ser feia. Eu sempre fui na delegacia e ninguém dava ouvidos. As pessoas também me chamavam de 'macaca', de 'preta', 'nariz de Michael Jackson', me atacando no Instagram. Eu recebo muitas ofensas de racismo e ninguém faz nada por eu não ser filha de famosos, não ser filha de ricos. Assim como ela é negra, eu também sou negra. Então eu achei hipocrisia isso. As pessoas que estavam me xingando, me ofendendo pela minha aparência, vão lá no instagram do Bruno Gagliasso e chamam a menina de linda?"

Day também afirmou que não virá ao Brasil e que não foi notificada sobre nenhum processo judicial após boletim de ocorrência feito por Gagliasso na última segunda-feira (28). "Se ele quiser me processar, que ele venha para o Canadá", afirmou.

Ela também negou que tenha sido presa por prostituição. Segundo Day, ela chegou a ser detida em 2015, mas porque contratou uma prostituta para "comemorar o aniversário do marido".

 

 

Loading...
Revisa el siguiente artículo