Ludmilla fala sobre racismo: Já fui chamada de macaca por um apresentador

Por band.com.br
Reprodução / Instagram
Ludmilla fala sobre racismo: Já fui chamada de macaca por um apresentador

No Dia da Consciência Negra, Ludmilla usou suas redes sociais para fazer um desabafo.

"Eu já fui chamada de 'macaca' por um apresentador de televisão. Já sofri preconceito no trânsito e até no avião. Vocês acham que eu me intimido com essas coisas? Eu não! O exemplo de mulheres como Beyoncé, Rihanna, Alcione, Elza Soares e Taís Araújo sempre me deram força para seguir em frente de cabeça erguida. Espero estar fazendo a mesma coisa pelos meus danados! Nunca abaixe a cabeça para o preconceito. Se não gosta, senta e chora! #DiaDaConsciênciaNegra #TeEnsineiCertin #TambémSouFã", escreveu.

Em janeiro deste ano, a funkeira foi ofendida ao vivo por Marcão do Povo, que comandava o programa Balanço Geral em Brasília (DF). Na ocasião, ao saber que a cantora supostamente inventava que estava resfriada sempre que era abordada por fãs em um restaurante na Ilha do Governador, no Rio de Janeiro, o apresentador soltou o verbo: "É uma coisa que não dá para entender. Era pobre e macaca! Pobre, mas pobre mesmo!", disparou.

Ao se dar conta do que tinha falado, ele tentou voltar atrás. "Eu sempre falo para os meus amigos: 'Eu era pobre e macaco também. Hoje eu sou rico de saúde".

Poucos dias depois, ele foi demitido da emissora.

Atenção: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Band. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. A Band poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Loading...
Revisa el siguiente artículo