Editora da revista Vogue na Itália cria curso para formar influenciadores digitais

Por Estadão Conteúdo
Pexels
Editora da revista Vogue na Itália cria curso para formar influenciadores digitais

Os influenciadores se tornaram uma verdadeira força nos últimos anos, graças à internet. Criação de conteúdo, parceria com marcas e aparições em eventos são alguns dos serviços que estas pessoas, que possuem milhões de seguidores em suas redes sociais, costumam oferecer. Porém, a profissão influenciador ainda é algo informal e não existem passos certeiros para cativar os seus seguidores.

Pensando nisso, a Condé Nast italiana criou um curso para treinar pessoas a usarem mídias sociais, focado em qualidade de conteúdo e respeito por padrões éticos. Isso inclui deixar claro que posts são patrocinados e mostrar com transparência o número de seguidores e curtidas. As primeiras turmas serão especializadas no núcleo de beleza e de lifestyle, e o curso conta com parcerias como a L’Oreal Itália e com o suporte educacional da escola de negócios SDA Bocconi. Assim que o curso finalizar, os profissionais recém formados irão receber um certificado e integrarão a rede de influenciadores digitais da Condé Nast, que já conta com 300 pessoas.

"Consumidores não veem mais as diferenças entre jornalistas e influenciadores", diz o chefe executivo da Condé Nast, Fedele Usai, em entrevista para o site WWD. "É uma divisão que nós sabemos internamente, mas o mundo já está marchando para outra direção".

As aulas acontecerão na sede da editora, no centro de Milão, e serão ministradas por 15 professores, com a ajuda de convidados internacionais especializados em comunicação digital. A primeira classe será formada por 20 estudantes femininas, escolhidas entre 2000 candidatas. As inscrições vieram em forma de vídeo e foram selecionadas por executivos da Condé Nast e da SDA Bocconi

Para participar das próximas turmas, é preciso ter pelo menos 19 anos, ter diploma do ensino médio e estar cursando uma faculdade, além de bom conhecimento de inglês. Conhecimento no mercado da beleza também é essencial, mas popularidade em mídias sociais não são decisivas para entrar no programa. Duas turmas irão abrir em 2018, com 40 estudantes cada e, para o próximo ano, irão ter especializações em gastronomia e tecnologia também

Loading...
Revisa el siguiente artículo