Jornalistas da Band são agredidos na cobertura da prisão de Lula

Por Band.com.br

Pelo menos quatro profissionais da Bandeirantes sofreram com agressões e ameaças, neste sábado, durante a cobertura da prisão do ex-presidente Lula.

Em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo, uma militante deu um tapa na mão da repórter Joana Treptow e até derrubou o microfone da mão da jornalista. Confira no vídeo abaixo.

Mais cedo, em seu Twitter, Joana já havia relatado ter sofrido ameaças. “Acabei de ser cercada por um grupo de manifestantes na frente do sindicato. Estava a segundos de entrar ao vivo. Uma covardia sem tamanho. Agora estamos em um lugar mais afastado, mas seguro”, afirmou.

A mesma agressora também atacou a repórter Gabriela Mayer, da Rádio BandNews FM. A mulher deu um tapa na barriga da jornalista e ainda tentou tirar o telefone celular nas mãos dela.

Também em São Bernardo, o cinegrafista Bruno, do motolink, foi agredido enquanto acompanhava uma viatura da Polícia Federal. Veja as imagens abaixo.

Outra que também foi agredida foi a repórter Bruna Barboza, da Rádio Bandeirantes. “Acabo de sofrer uma agressão na frente do Sindicato dos Metalúrgicos. Estava ao vivo e fui cercada por militantes ao som de “fascista”, “elite branca” e “mídia golpista”. Procurei arrego num estacionamento daqui de frente. Difícil trabalhar com medo”, postou a jornalista em sua conta no Twitter.

As equipes das rádio precisaram ser retiradas do local por questões de segurança e foram para um estacionamento. No aeroporto de Congonhas, onde mais manifestantes aguardavam a chegada do ex-presidente, também houve relatos de hostilidade contra os jornalistas.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo