'Brasil corre o risco de eleger um Hitler', diz FHC

Por Rádio Bandeirantes

Fernando Henrique Cardoso destacou o momento político vivido pelo Brasil e afirmou que o País corre o sério risco de eleger um "Hitler, Trump ou Macron" nas eleições de outubro. "Tem que ser alguém que toque as pessoas com as palavras, mas com algumas regras de democracia e de bem-estar, que tenha compromisso com o país", falou, em entrevista exclusiva ao programa 90 minutos com Datena, da Rádio Bandeirantes, nesta quinta-feira (18).

Para o ex-presidente, é preciso observar com atenção a mensagem de cada candidato. "O discurso tem que ter razão e não só emoção, que conduza a pessoa pelo motivo certo e não pelo errado", explica.

FHC disse que o Brasil vive um período de desgaste no sistema político. "As pessoas estão cansadas de tanta confusão: é violência, crime, roubo. Nós precisamos voltar a acreditar no país, que já passou por muita coisa. Precisamos olhar para a frente, para o futuro. "Nós estamos em um momento que é preciso conectar os políticos com a população".

O "fenômeno", de acordo com o ex-presidente, não é específico do Brasil. "O mundo todo está sofrendo esse desgaste porque a democracia social mudou, assim como a sociedade. A demanda das pessoas aumentou, elas querem mais".

O ex-presidente também indicou que Geraldo Alckmin será o candidato do PSDB à presidência e que João Doria pode ser o candidato tucano ao governo de São Paulo, apesar de o prefeito afirmar que irá continuar no comando da prefeitura.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo