Filha de Roberto Jefferson será nova ministra do Trabalho

Por Reuters

A deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) será a nova ministra do Trabalho, indicada pelo pai, o presidente do partido, Roberto Jefferson, e aceita pelo presidente Michel Temer em reunião nesta quarta-feira no Palácio do Jaburu.

“O nome dela surgiu, não foi uma indicação. Estávamos conversando e surgiu o nome. Fizemos uma ligação para o líder Jovair que anuiu imediatamente”, disse o presidente do PTB ao sair do encontro com o presidente.

Em nota, o Palácio do Planalto confirmou que Temer recebeu a indicação oficial do PTB e definiu que Cristiane Brasil como a nova ministra do Trabalho.

Segundo Jefferson, o nome de sua filha “surgiu” durante a conversa. “Eu vou te falar que eu não indiquei. Estávamos falando de vários nomes e aí surge o nome dela”, afirmou. Em seguida, disse, ele ligou para o líder do PTB na Câmara, Jovair Arantes (GO), que teria aceitado “imediatamente”, e depois Temer telefonou para a própria deputada.

“Ela vai ter que abrir mão do mandato. Consultamos, ela aceita ser ministra, não vai disputar eleição. Ela ficará até o final”, disse.

O ex-ministro do Trabalho Ronaldo Nogueira pediu demissão no dia 27 de dezembro. Imediatamente, o partido indicou o deputado Pedro Fernandes (MA) para substituí-lo, mas a proximidade do parlamentar com o governador do Maranhão, Flávio Dino -opositor ferrenho do governo de Michel Temer- levou a um veto a seu nome.

Para um dos vice-líderes do governo na Câmara, o deputado Beto Mansur (PRB-SP), não há “nenhum problema” na mudança, uma vez que o partido vai permanecer na base de apoio do governo.

Ele negou que a saída de Pereira e a troca de Ronaldo Nogueira por Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho pudessem atrapalhar na votação da reforma da Previdência na Câmara, prevista para ocorrer logo após o Carnaval.

“Não (atrapalha), tanto que quem foi indicada no PTB é a filha do presidente do partido (Roberto Jefferson)”, disse. “No PRB, com o Marcos deixando de ser ministro, acho até que ajuda nesse processo”, completou. Segundo o presidente do PTB, agora “acabou o imbróglio”.

“Já conversei com o deputado Pedro, não há ressentimentos. Foi um embaraço. Essas coisas ficam no passado”, disse. “Na hora que vem um nome a gente não pensa nos desdobramentos para o presidente Sarney.”

Ao sair do encontro com Temer e anunciar o nome da filha para o ministério, Roberto Jefferson demonstrou emoção. Afirmou que era um “resgate” da imagem da família, abalada com o escândalo do mensalão, de 2005.

Saúde de Temer

Jefferson, que esteve por cerca de uma hora com Temer, disse ter achado o presidente em boa forma, apesar de mais magro e com a voz “abafada”.

“Achei o presidente mais magro, mas corado. Três cirurgias não são brincadeira. Não posso dizer que seja um homem de idade provecta, mas já não é mais um menino”, disse.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo