'Sou pré-candidata para valer', afirma Manuela D'Ávila

Por band.com.br
Reprodução
'Sou pré-candidata para valer', afirma Manuela D'Ávila

Dacordo com a última pesquisa Datafolha, publicada nesse sábado (2), a pré-candidata à Presidência de República e deputada estadual, Manuela D'Ávila (PCdoB-RS), aparece com apenas 1% das intenções de voto. Mesmo assim, a gaúcha explicou que o partido "entrou para valer" na disputa e que é possível vencer. Foi o que ela respondeu durante entrevista no programa Canal Livre, apresentado na madrugada desta segunda-feira (3).

"Hoje sou pré-candidata para valer, para tentar vencer as eleições", afirmou. "Essa é a minha sétima eleição. Todas foram tidas como impossíveis de serem vencidas, mas entro nelas com a convicção de que, conversando com as pessoas, estabelecendo diálogo com elas sobre o futuro, projetos e perspectivas que a política pode ter para transformar a vida delas, é possível vencer".

A deputada estadual também comentou que é "natural" apoiar outros partidos caso a vitória não ocorra no primeiro turno. "Não há nenhum problema em pensar nessa hipótese".

Questionada se o partido teria lançado a pré-candidatura apenas para ter a cláusula de desemprenho, Manuela explicou que o partido "sempre esteve ameaçado pela norma" [que impede ou restringe o funcionamento parlamentar ao partido que não alcançar determinado percentual de votos]. "Nossa candidatura é como a dos outros partidos. Mas o propósito é debater a crise que o Brasil vive".

A gaúcha contou ainda que o partido decidiu ter a própria candidatura – e não apoiar o PT – após o "golpe de 2016". "Neste novo ciclo que se abriu, nós interpretamos que é apropriado lançar a candidatura".

Neste primeiro bloco, a bancada também falou sobre o futuro da economia brasileira; a Reforma da Previdência e a ética na política brasileira.

Parte dois

A gaúcha explicou o que achava ser "comunista no século XXI", como foi questionada pelos jornalistas. "O mais importante é que nós acreditamos que estamos no nosso país. A direita, por exemplo, acha que pode copiar modelos de outros países", disse. "Acredito que o homem não é lobo do homem. Precisamos de oportunidades iguais".

Parte 3

No terceiro e último bloco, Manuela foi abordada sobre o ódio presente nas redes. "Vivi coisas que jamais imaginei que fossem existir. O ódio nas redes também sai para as ruas", falou.

Manuela ainda contou que irá lutar contra os ataques com propostas. "Não tenho medo. O povo brasileiro é melhor que isso."

Loading...
Revisa el siguiente artículo