'Se eu assumir, PSDB desembarca do governo Temer', diz Alckmin

Por Metro Jornal com Rádio Bandeirantes
Leonardo Benassatto/Reuters
'Se eu assumir, PSDB desembarca do governo Temer', diz Alckmin

“Se eu assumir o partido, o PSDB desembarca do governo Michel Temer. Eu acho que não tem nenhuma razão o continuar no governo. Já não é de hoje que penso assim. Mas as reformas vão continuar.”

A afirmação, em primeira mão, foi dada pelo governador de São Paulo Geraldo Alckmin em entrevista a José Luiz Datena na Rádio Bandeirantes.

Leia mais:

Doria nega problema em Alckmin comandar PSDB e ser presidenciável

Na segunda-feira (27), Alckmin aceitou comandar o PSDB. O novo presidente da legenda será oficialmente definido na convenção nacional do partido, marcada para o próximo dia 9, em Brasília. O senador Tasso Jereissati (CE) e o governador de Goiás, Marconi Perillo, desistiram da disputa e, com o gesto, abriram caminho para Alckmin assumir a legenda, buscar a unificação da sigla e fortalecer seu nome como eventual candidato à Presidência da República em 2018.

Ele ressaltou, no entanto, que o apoio às reformas de interesse do país será mantido, mesmo se acontecer o desembarque. Alckmin admite que a escolha para comandar o partido é um passo importante para disputar a presidência da República.

Entrevistado no programa “90 Minutos”, também sinalizou que uma eventual chapa encabeçada por ele terá que contemplar nomes de outras regiões do país.  Para Geraldo Alckmin, o atual sistema político brasileiro está falido e precisa ser modificado.

 Essa reforma, na visão do governador, é a primeira que deverá ser feita pelo presidente, seja ele quem for. Como possível novo presidente do PSDB, Alckmin diz que pretende atuar para unir e fortalecer o partido.

Loading...
Revisa el siguiente artículo