Tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer delação, teria dito Aécio

Por Tercio Braga
Aécio teria pedido dinheiro para ajudar a pagar sua defesa na Lava Jato/Lula Marques/AGPT
Tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer delação, teria dito Aécio

A delação de Joesley Batista, dono da JBS, pode complicar ainda mais a situação do presidente do PSDB, senador Aécio Neves, já investigado em diversos inquéritos da Operação Lava Jato.

Segundo o jornal “O Globo”, o empresário entregou à Procuradoria-Geral da República (PGR) uma gravação que mostra o tucano pedindo R$ 2 milhões para pagar as despesas de sua defesa. O diálogo durou cerca de 30 minutos e ocorreu no Hotel Unique, em São Paulo.

Leia também
Gravação mostra Temer dando aval para compra de silêncio de Cunha

Ao aceitar o pedido de ajuda, Joesley perguntou quem seria o responsável por pegar as malas com dinheiro. “Tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer delação. Vai ser o Fred com um cara seu. Vamos combinar o Fred com um cara seu porque ele sai de lá e vai no cara. E você vai me dar uma ajuda do caralho”, disse Aécio.

“Fred” seria Frederico Pacheco de Medeiros, primo do senador e ex-diretor da Cemig. O dinheiro foi entregue em quatro vezes de R$ 500 mil – uma delas foi filmada pela Polícia Federal. Segundo “O Globo”, o dinheiro não foi usado para pagar advogados, mas sim repassado a um assessor parlamentar do senador Zeze Perrella, também do PSDB.

A rota dessa quantia foi acompanhada de perto pela PF. Aécio ainda não se manifestou sobre as novas suspeitas contra ele.

Loading...
Revisa el siguiente artículo