Dilma anuncia hoje equipe econômica para o segundo mandato

Por Carolina Santos
Levy e Barbosa vão assumir Fazenda e Planejamento | Maíra Coelho/Gov. RJ e Marcelo Camargo/ABr Levy e Barbosa vão assumir Fazenda e Planejamento | Maíra Coelho/Gov. RJ e Marcelo Camargo/ABr

Um mês após ser reeleita, a presidente Dilma Rousseff anunciará nesta quinta-feira o triunvirato que cuidará da condução da economia brasileira no segundo mandato a partir de 1º de janeiro. Joaquim Levy assumirá o Ministério da Fazenda; Nelson Barbosa será o novo ministro do Planejamento; e Alexandre Tombino seguirá no comando do Banco Central.

Os dois novos ministros não tomarão posse imediatamente. “Não há previsão de solenidade de posse”, informou nesta quarta a Secretaria de Comunicação da Presidência da República.

Um gabinete de transição será montado no Palácio do Planalto para que as discussões de  eventuais medidas, além de acompanhamento de cenários econômicos, possam ser feitas. O governo ainda não estipulou prazo para que os atuais ministros  Guido Mantega (Fazenda) e  Miriam Belchior (Planejamento) deixem os cargos.

Os mercados vêm demonstrando bom humor com os nomes de Levy e Barbosa. Nesta quarta, o dólar caiu 1,17%, a R$ 2,5070. Foi o sexto fechamento em baixa em sete sessões. A avaliação é de que a trinca indica que Dilma reconhece a necessidade de mudança na política econômica.

Ex-secretário do Tesouro Nacional, Levy terá a missão de desmontar gradualmente a política anticíclica feita nos últimos anos. “Ele vai assumir o cargo para rever as contas, reverter desonerações, gerar mais receita e criar ambiente para a melhora do investimento privado”, disse à “Reuters” uma fonte do governo.

As desonerações tributárias, nos primeiros dez meses do ano, somaram quase R$ 85 bilhões, e são uma das principais responsáveis pelo mau desempenho fiscal do governo. Entre elas, estão a redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) de veículos, que termina neste ano, e a das folhas de pagamento de diversos setores.

As medidas em estudo também envolvem mudança no seguro-desemprego e abono salarial, além de contenção de gasto da máquina pública. Também está em análise o aumento da alíquota da Cide (Contribuição de Intervenção do Domínio Econômico) sobre combustíveis, zerada desde 2012. Esse pacote de medidas está em fase final de elaboração e será anunciado nos próximos dias.

Outros ministros

Por enquanto, a presidente mostra disposição de deixar a formação dos demais integrantes do novo ministério apenas para o fim do atual mandato. Dois nomes foram vazados, mas sem a confirmação oficial: a senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) deve ir para o Ministério da Agricultura, e o senador Armando Monteiro (PTB-PE) é apontado como novo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Dilma discutirá o espaço do PMDB, que quer ampliar a cota hoje de cinco ministérios, e definir quais das 14 pastas do PT serão distribuídas para aliados.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo