Procuradores viajam à Suíça para investigar desvios na Petrobras

Por Carolina Santos
Petrobras entra na mira    da Justiça dos EUA | Geraldo Magela/Agência Senado Paulo Roberto Costa teria depósitos em cinco contas na Suíça | Geraldo Magela/Agência Senado

Procuradores do Ministério Público Federal (MPF) que integram a equipe responsável pela Operação Lava Lato viajaram para a Suíça. Orlando Martello e Deltan Dallagnol tentam agilizar a liberação de 27 milhões de dólares que estariam depositados em cinco contas do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa.

Segundo o MPF, o próprio ex-diretor autorizou a repatriação do dinheiro. O aval de Paulo Roberto Costa pode evitar a longa tramitação burocrática e também jurídica da liberação da quantia que, segundo as investigações, foi desviada da estatal.

Os procuradores devem se reunir com as autoridades de Berna para tratar do caso. Eles também vão solicitar cópias de todos os extratos bancários das contas de Paulo Roberto Costa. A medida deve ajudar a identificar a origem dos depósitos, o que comprovaria que outros investigados da Lava Jato também movimentaram dinheiro em bancos da Suíça.

Leia também:
PF aguarda retorno de procuradores para efetuar mais prisões na Lava Jato, diz colunista

Entre os suspeitos de manter conta no paraíso fiscal estão o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque e o lobista Fernado Baiano. Os dois tiveram mandado de prisão decretado no dia 14 de novembro, quando a sétima fase da operação foi deflagrada, e permanecem detidos na carceragem da sueprintendência da Polícia Federal no Paraná.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo