Ministro da Justiça destaca atuação de Thomaz Bastos frente à pasta

Por Carolina Santos
José Eduardo Cardozo lamentou a morte de Márcio Thomaz Bastos | Andre Borges/Folhapress José Eduardo Cardozo lamentou a morte de Márcio Thomaz Bastos | Andre Borges/Folhapress

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, lamentou a morte do advogado e e ex-ministro Márcio Thomaz Bastos. Em nota, ele destacou a atuação de Bastos frente à pasta: “fortaleceu a cooperação jurídica internacional e o combate à lavagem de dinheiro”.

Márcio Thomaz Bastos foi ministro da Justiça durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, entre os anos de 2003 e 2007. Ele também era conhecido como um dos principais advogados criminalistas do Brasil.

O ex-ministro morreu aos 79 anos, na manhã desta quinta-feira, em decorrência de complicações pulmonares. Márcio Thomaz Bastos estava internado desde a última terça no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. O velório será realizado a partir das 15h na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp).

Leia também:
Morre o ex-ministro Márcio Thomaz Bastos em São Paulo
Dilma Rousseff e Lula lamentam morte de Márcio Thomaz Bastos

Confira a nota de pesar do Ministro da Justiça na íntegra:
“Foi com profundo pesar que recebi a notícia do falecimento do ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos.
Durante sua carreira na advocacia, na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e no serviço público, mostrou-se um defensor intransigente da democracia e dos direitos humanos, participando do movimento das Diretas Já e da fundação da Ação pela Cidadania.
Bastos comandou de forma brilhante o Ministério da Justiça de 2003 a 2007, reestruturando a Polícia Federal e promovendo avanços institucionais no Poder Judiciário.
Durante sua gestão fortaleceu a cooperação jurídica internacional e o combate à lavagem de dinheiro por meio da criação do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI) e da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (ENCCLA).
Lembrado com carinho e admiração pelos funcionários desta Casa, Márcio Thomaz Bastos seguirá como exemplo de competência, integridade e espírito público.
Neste momento de dor, transmito meus sentimentos a seus familiares.”

OAB

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) decretou luto oficial de sete dias, com a bandeira hasteada a meio mastro, pela morte Márcio Thomaz Bastos. O Conselho Federal da OAB também se manifestou. Em nota, o presidente nacional da entidade, Marcus Vinícius Furtado Coelho, citou o ex-ministro como inspiração.

“Márcio será sempre inspiração para a defesa do estado de direito, dos valores constitucionais e dos fundamentos de uma sociedade civilizada”. E acrescentou: “Um brasileiro exemplar, um advogado ético e decente, um jurista de escol, um homem de família, um amigo e conselheiro. Ao luto institucional se soma a tristeza pessoal pela irreparável perda deste inigualável presidente de sempre do Conselho Federal da OAB”.

Formado pela Faculdade de Direito da USP, Márcio Thomaz Bastos foi presidente da OAB-SP entre 1983 e 1985 e também do Conselho Federal da entidade, de 1987 a 1989.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo