Dilma indicará seis novos ministros para o STF

Por Carolina Santos
Dilma Rousseff na posse de Lewandowski | Pedro Ladeira/Folhapress Dilma Rousseff na posse de Lewandowski | Pedro Ladeira/Folhapress

A presidente reeleita Dilma Rousseff terá que nomear pelo menos seis ministros para o Supremo Tribunal Federal (STF), a mais alta corte do Judiciário brasileiro, até 2018. Ela deverá indicar os substitutos de Joaquim Barbosa, que se aposentou em julho, e de outros cinco ministros que completam 70 anos durante o segundo mandato da petista.

A previsão é de que cinco ministros se aposentem nos próximos quatro anos. Celso de Mello em 2015; Marco Aurélio Mello, em 2016; e Ricardo Lewandowski, Teori Zavascki e Rosa Weber no ano de 2018.

A indicação da presidente precisa passar pela aprovação do Senado, que faz uma sabatina com o futuro ministro antes de concordar com a nomeação.

Dos atuais ministros do STF, quatro foram indicados por Dilma Rousseff e três pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Até o fim de 2018, Gilmar Mendes será o único dos ministros não foi indicado pelo PT. Ele foi nomeado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Loading...
Revisa el siguiente artículo