Assediados, FHC e Lula demonstram confiança ao votar

Por fabiosaraiva
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso faz gesto de positivo, após votar, no bairro de Higienópolis, em São Paulo | Emiliano Capozoli/Folhapress O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso faz gesto de positivo, após votar, no bairro de Higienópolis, em São Paulo | Emiliano Capozoli/Folhapress

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) votou por volta das 11h30 no colégio Sion, no bairro Higienópolis, em São Paulo. O tucano foi recepcionado por eleitores que, em frente ao colégio, gritavam “FHC, FHC”.

Após o voto, Fernando Henrique Cardoso posou para os fotógrafos fazendo o “v” da vitória. Ele disse estar otimista com a vitória do candidato à presidência Aécio Neves.

O ex-presidente também comparou as eleições com a disputa de 1989. “Também era assim nas Diretas Já”, afirmou sobre a corrida acirrada pela Presidência.

 

 

Ricardo Stuckert/ Instituto Lula Ricardo Stuckert/ Instituto Lula

Lula é assediado em colégio eleitoral de São Bernardo
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) votou por volta das 10h na Escola João Firmino, em São Bernardo do Campo. Muito assediado, o petista demorou cerca de 10 minutos para conseguir entrar no colégio eleitoral.

Um corredor de grade precisou ser montado para facilitar a passagem do ex-presidente. Ainda assim, Lula cumprimentou e tirou foto com os eleitores que foram até o local para vê-lo.

Ele estava acompanhado do prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho, e da esposa Marisa.

Candidata pediu união aos brasileiros | Facebook/Reprodução Candidata pediu união aos brasileiros | Facebook/Reprodução

Marina Silva pede união do Brasil após eleição
A ex-ministra Marina Silva (PSB), terceira colocada no primeiro turno da eleição presidencial, afirmou neste domingo, após votar em Rio Branco, no Acre, que o Brasil deverá fazer um esforço para se unir após o acirramento da disputa eleitoral no segundo turno.

“Independente dos resultados, é fundamental que, depois dessas eleições, se tenha uma postura de unir o Brasil, de não permitir que o nosso país seja dividido entre Norte e Nordeste, entre Sul e Sudeste. Que o Brasil continue sendo o país da diversidade social, cultural e econômica”, disse a candidata.

Questionada sobre a reportagem da revista Veja, que afirma que a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sabiam do esquema de corrupção na Petrobras, Marina se disse favorável à liberdade de imprensa. “Que seja investigado pela Justiça, e que a Justiça dê seu veredicto”, disse.

Sobre seu futuro político, a socialista afirmou que voltará “para suas causas”. “Não fico na cadeira cativa de candidata.”

Loading...
Revisa el siguiente artículo